Inquérito sobre atos antidemocráticos indica rachadinha e tráfico de influência

apuração da PF aponta para uma atuação mais sofisticada, que incluía uma rede com empresas sediadas no exterior, tráfico de influência e lavagem de dinheiro

Apoiadores de intervenção militar se aglomeram durante discurso do presidente Jair Bolsonaro em Brasília (19.abr.2020)
Apoiadores de intervenção militar se aglomeram durante discurso do presidente Jair Bolsonaro em Brasília (19.abr.2020) Foto: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

As investigações da Polícia Federal sobre os atos antidemocráticos indicam um esquema maior e mais complexo do que se imaginava.

Segundo apuração exclusiva da âncora da CNN Daniela Lima, a apuração da PF aponta para uma atuação mais sofisticada, que incluía uma rede com empresas sediadas no exterior, suspeita de tráfico de influência, lavagem de dinheiro e até “rachadinha”.

O inquérito foi aberto pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), em abril do ano passado após seguidas semanas com protestos em Brasília que defendiam o fechamento do STF e do Congresso Nacional.

Um ato específico, em frente ao quartel-general do Exército, com faixas pedindo uma reedição do Ato Institucional nº 5 (AI-5), medida autoritária da ditadura militar que cerceou liberdades individuais e políticas de milhares de pessoas.

Mais Recentes da CNN