Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Julgamento de Flordelis começa nesta segunda-feira (7)

    Também serão julgados a filha biológica da ex-deputada, dois filhos afetivos e a neta; todos são acusados de envolvimento na morte do pastor Anderson do Carmo, marido da ex-parlamentar

    Pedro Guimarães*da CNN

    Rio de Janeiro

    Começa nesta segunda-feira (7) o julgamento da pastora e ex-deputada federal Flordelis, acusada da morte de seu marido, o pastor Anderson do Carmo. A audiência também vai decidir o futuro da filha biológica da ex-parlamentar, Simone dos Santos Rodrigues; da neta, Rayane dos Santos Oliveira; e dos filhos afetivos André Luiz de Oliveira e Marzy Teixeira da Silva.

    Marcado inicialmente para acontecer no dia 9 de maio, o júri popular foi adiado duas vezes por conta de pedidos da defesa. Ele estava previsto para 12 de dezembro, mas devido às semifinais da Copa do Mundo, nos dias 13 e 14, e a provável decretação de ponto facultativo, a juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce atendeu ao pedido da assistente de acusação e antecipou a data para esta segunda-feira.

    Flordelis é acusada de ser a mandante do crime e responde por homicídio triplamente qualificado – por motivo torpe, emprego de meio cruel e de recurso que impossibilitou a defesa da vítima -, tentativa de homicídio, uso de documento falso e associação criminosa armada. A CNN entrou em contato com a defesa da ex-parlamentar sobre a expectativa para o julgamento e aguarda um retorno.

    Os filhos Marzy da Silva, Simone Rodrigues e André Oliveira vão responder pelos mesmos crimes, com exceção do uso de documento falso. A neta, Rayane Oliveira, é acusada por homicídio triplamente qualificado e associação criminosa armada.

    Por causa do número de réus, a expectativa é de que o julgamento dure mais de um dia. O início está previsto para 9h, com interrupção por volta das 20h e retomada às 9h do dia seguinte.

    Seis pessoas já foram condenadas pelo crime

    O Tribunal do Júri de Niterói já julgou e condenou seis réus envolvidos no caso da morte de Anderson do Carmo.

    Flávio dos Santos Rodrigues, filho biológico de Flordelis, foi condenado a 29 anos de reclusão em regime fechado. Ele foi denunciado como autor dos disparos que provocaram a morte do pastor. Além dele, Lucas Cezar dos Santos de Souza, filho adotivo da ex-parlamentar, foi condenado a nove anos de prisão, acusado de ter sido responsável por adquirir a arma usada no assassinato.

    No julgamento realizado em abril deste ano, quatro réus foram condenados. Adriano dos Santos Rodrigues, filho biológico de Flordelis, teve a sentença de quatro anos em regime semiaberto por uso de documento falso e associação criminosa armada. Marcos Siqueira Costa, ex-policial militar, e sua esposa Andrea Santos Maia, foram condenados a cinco anos em regime fechado e quatro anos em regime semiaberto, respectivamente.

    Já o filho adotivo Carlos Ubiraci Francisco da Silva foi condenado pelo crime de associação criminosa armada a dois anos, em regime inicialmente semiaberto. Em abril, a Vara de Execuções Penais do TJRJ concedeu liberdade condicional a Ubiraci.

    Relembre o caso

    O pastor Anderson do Carmo era casado com Flordelis há 25 anos. Ele foi executado a tiros no dia 16 de junho de 2019, na garagem da casa onde morava com a família em Pendotiba, na cidade de Niterói, Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Segundo os laudos dos peritos, foram identificadas 30 perfurações de de arma de fogo no corpo.

    O Ministério Público (MP) denunciou a ex-parlamentar e mais dez pessoas pelo assassinato, em 2019. Na época, a pastora não teve sua prisão pedida por conta da imunidade parlamentar, que perdeu em agosto de 2021, quando foi cassada pelo plenário da Câmara dos Deputados.

    De acordo com o MP, sete dos 55 filhos biológicos e adotivos de Flordelis estão envolvidos no crime, além de uma neta e outras duas pessoas. O órgão também afirma que a ex-deputada tentou manipular as testemunhas do processo que investiga o caso por diversas vezes.

    *Sob supervisão de Pauline Almeida