Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Kit de joias masculino ficou exposto na cozinha do Palácio da Alvorada, diz Wajngarten à CNN

    Michelle Bolsonaro afirmou nesta terça-feira que teve conhecimento sobre o referido conjunto de joias

    Douglas Portoda CNN em São Paulo

    O ex-secretário de Comunicação do governo Jair Bolsonaro (PL), Fabio Wajngarten, declarou, nesta terça-feira (25), em entrevista à CNN, que o kit de joias masculino enviado pelo governo da Arábia Saudita ficou exposto na cozinha do Palácio da Alvorada após ser recebido por assessores e entregue à ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro.

    “A comitiva do ex-ministro Bento [Albuquerque] tenta entrar no Brasil com dois presentes: o kit masculino e o feminino. O kit feminino, que até o presente momento não tem laudo de perícia de valores, a PF ainda não juntou no inquérito, continua apreendido na Receita Federal do Aeroporto de Guarulhos”, explicou. “Tanto o ex-presidente quanto a ex-primeira-dama dona Michelle só tomaram conhecimento tanto do kit masculino, quanto do kit feminino, 13 meses depois”, continuou.

    “Referido kit masculino foi feito por ofício toda a catalogação com o Gabinete Adjunto de Documentação Histórica (GADH) e foi para o acervo privado do presidente da República. Por fim do mandato, o referido presente kit masculino foi encaminhado do GADH à residência do presidente da República, que era o Palácio da Alvorada. Foi recebido, de fato, por um funcionado e ficou exposto, ficou na cozinha do palácio. Esta é a cronologia dos fatos”, prosseguiu.

    O presente foi recebido por assessores e depois foi entregue à dona Michelle, que o deixou por dois ou três dias na cozinha, nem identificando o que era. Dona Michelle, como o presidente, também não sabiam do que se tratava

    Fabio Wajngarten

    Michelle Bolsonaro afirmou nesta terça-feira que teve conhecimento sobre o kit de joias masculino. A mudança de versões ocorreu após o jornal “O Estado de S. Paulo” revelar, também hoje, o relato de uma servidora do Gabinete Adjunto de Documentação Histórica à Polícia Federal (PF).

    A servidora teria informado aos agentes que Michelle teve contato direto com o segundo conjunto de joias masculinas, trazido pelo ex-ministro de Minas e Energia Bento Albuquerque em outubro de 2021.

    “Essas joias que chegaram no Alvorada foram as joias masculinas. Então, estão me associando ao primeiro caso, quando eu falei que não sabia, e não sei mesmo. Tanto que essas joias continuam apreendidas e essa do Alvorada está na Caixa Econômica Federal. O que eu tenho a ver com isso?”, expôs a ex-primeira-dama em entrevista coletiva.

    A assessoria de Michelle Bolsonaro afirmou que a ex-primeira-dama desconhecia a existência e o conteúdo dos presentes doados pela Arábia Saudita. “Ela soube pela imprensa brasileira”, explicaram.

    “O kit feminino está em posse da Receita Federal desde novembro de 2021. O kit masculino foi recebido pelo Gabinete Adjunto de Documentação Histórica (GADH) em novembro de 2022 e foi repassado para a Caixa Econômica Federal. No depoimento da servidora do GADH, ela não diz que as joias estavam nas mãos da então primeira-dama e sim que ouviu isso de terceiros”, cita o posicionamento oficial enviado pela ex-primeira-dama.

    O GADH atua para o Gabinete Pessoal da Presidência da República e é responsável pela recepção e triagem de presentes oficiais. O conjunto de joias teria sido entregue para Michelle no dia 29 de novembro de 2022, no palácio e conferido pessoalmente pelo então presidente Jair Bolsonaro.

    O estojo contém um relógio de luxo da marca Chopard que custa cerca de R$ 800 mil. O modelo teve apenas 25 unidades produzidas em todo o mundo.

    Segundo estojo de joias sauditas, sob posse do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL)
    Segundo estojo de joias sauditas, sob posse do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) / Reprodução/CNN

    As outras joias, cravejadas de ouro e diamantes, são um par de abotoaduras e um rosário.

    Bento Albuquerque se tornou formalmente investigado no inquérito da PF. O ex-ministro disse em depoimento que as joias foram entregues pela Arábia Saudita sem direcionamento.

    A Polícia Federal colheu mais de 13 depoimentos até o momento na investigação que apura o caso das joias.