Liberais e olavistas de governo disputam escolha de novo ministro da Educação

Ala mais ideologizada chegou a sugerir o nome de Arthur Weintraub, irmão do atual ministro, que trabalha como assessor no Palácio do Planalto

Esplanada dos Ministérios, em Brasília
Esplanada dos Ministérios, em Brasília Foto: Ueslei Marcelino - 21.abr.2020/Reuters

Basília Rodriguesda CNN

Ouvir notícia

A busca por um novo ministro da Educação promoveu uma disputa no governo entre auxiliares liberais e aqueles que se intitulam olavistas, em referência ao ideólogo Olavo de Carvalho.

Integrantes do Ministério da Economia, os chamados liberais, sugeriram os nomes de Diogo Costa, que preside a Escola Nacional de Administração Pública (ENAP), ou de algum integrante da equipe econômica do ministro Paulo Guedes.

Leia também:

‘Não sei meu futuro, está difícil prever’, diz Weintraub

A reação dos liberais é evitar que um indicado olavista, com o mesmo perfil de Abraham Weintraub, ocupe a pasta.

O outro lado, considerado mais ideologizado, chegou a sugerir o nome de Arthur Weintraub, irmão do atual ministro, que trabalha como assessor no Palácio do Planalto.

O presidente Jair Bolsonaro ainda não decidiu. Um dos motivos da demora tem a ver com as ações recentes de prisão e busca e apreensão contra apoiadores do governo, dentro de inquéritos que investigam atos antidemocráticos e fake news. Uma eventual demissão de Weintraub retiraria o foro privilegiado dele.

Mais Recentes da CNN