Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Liderança do governo no Congresso quer aprovação de Dino com, ao menos, 47 votos em plenário

    Placar de 47 a 32 está sendo usado como parâmetro porque é o mesmo da aprovação de André Mendonça ao STF pelo Senado; votação foi a mais acirrada entre os atuais ministros do Supremo

    Flávio Dino, ministro da Justiça e Segurança Pública, foi indicado ao STF
    Flávio Dino, ministro da Justiça e Segurança Pública, foi indicado ao STF Tom Costa/MJSP

    Luciana Amaralda CNN

    Brasília

    A liderança do governo no Congresso Nacional quer a aprovação de Flávio Dino, indicado ao cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), com ao menos 47 votos favoráveis no plenário do Senado.

    Os 47 votos estão sendo utilizados como parâmetro porque foi o número que o ministro do STF André Mendonça obteve quando aprovado pelo Senado. O placar de 47 a 32 foi o mais apertado entre os atuais ministros do Supremo. São necessários, pelo menos, 41 votos favoráveis dos 81 senadores.

    Antes da análise em plenário, a indicação feita pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) também precisa ser aprovada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa. A sabatina na CCJ será em 13 de dezembro.

    Nesta segunda-feira (27), o presidente Lula oficializou as indicações dos nomes de Dino ao STF e de Paulo Gonet à Procuradoria-Geral da República (PGR).

    A avaliação de lideranças governistas é que a indicação do nome de Dino é mais delicada, portanto, terá de ser mais bem trabalhada do que a de Gonet. As visitas aos gabinetes de senadores em busca de apoio devem começar nos próximos dias e contar com a ajuda de governistas.

    Embora o PL seja hoje o principal partido de oposição a Lula no Congresso, um líder aliado ao presidente da República disse acreditar que conseguirá alguns votos para Dino e Gonet da bancada da sigla.