Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Lira: nenhuma “pauta bomba” foi tratada por deputados

    Parlamentar disse que desde que chegou à Presidência da Câmara deu todas as condições para a governabilidade

    Presidente da Câmara deu entrevista ao programa Conversa com Bial
    Presidente da Câmara deu entrevista ao programa Conversa com Bial 20/12/2022 - Reuters/Adriano Machado

    Manoela Carluccida CNN*

    São Paulo

    O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), disse, na última terça-feira (23), que nenhuma pauta-bomba foi tratada por deputados. A declaração foi dada ao programa Conversa com Bial, da TV Globo.

    “Qual a pauta-bomba foi plantada? Qual instabilidade para um governo ou para o outro? Não há nenhum governo desde que eu cheguei à Câmara que tenha tido melhores condições para governar o país do que as dadas por nós”, disse.

    Para ele, a “reforma tributária é o retrato mais claro do empenho” do mandato.

    O presidente da Câmara ainda negou que tenha contribuído com instabilidades entre o Congresso e o governo federal. “Não sou antagonista de ninguém”, afirmou.

    A declaração se dá após atrito de Lira com o ministro da Secretaria de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, responsável pela articulação política no Congresso.

    Na noite do último domingo (21), o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva se reuniu com o presidente da Câmara no Palácio da Alvorada.

    Lira destacou acreditar que o acirramento político no Parlamento é resultado da polarização que se formou na sociedade nos últimos tempos. Para ele, é necessário um esforço para que se mantenha a liturgia na Câmara.

    Aproveitou para expressar seu apoio à mudança na lei que permite parlamentares e políticos contestação de leis no Supremo Tribunal Federal.

    Eleição da Câmara

    Quando questionado sobre sua sucessão na casa, em eleição que ocorrerá em 2026, o presidente afirmou que a partir de agosto essa articulação poderá ser discutida.

    “Tenho uma amizade pessoal com um dos que postulam, mas nenhum ouviu que meu candidato é A, B ou C”, afirmou.

    *Supervisão de Marcos Rosendo. Com informações de Agência Câmara de Notícias