Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Lira sinaliza a Planalto votar marco fiscal na segunda quinzena de agosto, dizem fontes

    Aprovado com mudanças pelo Senado, proposta voltou para a Câmara; expectativa do governo federal é de que o projeto seja votado até o dia 9 de agosto

    Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, sinalizou votação para agosto
    Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, sinalizou votação para agosto 19/08/2022REUTERS/Carla Carniel

    Gustavo Uribeda CNN

    Brasília

    O Palácio do Planalto recebeu sinalização do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, de que a proposta do Marco Fiscal será pautada para a segunda semana de agosto. É o que dizem fontes do governo à CNN.

    Aprovado com mudanças pelo Senado, o novo Marco Fiscal voltou para a Câmara. A expectativa do governo federal é de que o projeto seja votado até o dia 9 de agosto.

    Por isso, o lançamento no novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) foi marcado para o dia 11.

    A ideia é que, nesta próxima semana, o relator da proposta, o deputado federal Claudio Cajado (PP-BA), apresente seu parecer.

    Em conversa com a CNN, ele disse que sua intenção é manter o texto como aprovado pela casa legislativa, ou seja, sem as alterações do Senado.

    Análise: reformas da microeconomia aguardam votação no Congresso

    O Palácio do Planalto até aceitaria abrir mão da retirada da nova regra do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e do fundo do Distrito Federal.

    No entanto, o Planalto articula manter a mudança no cálculo do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), utilizando o referencial de janeiro a dezembro deste ano. Dessa forma, o governo estima um ganho de R$ 38 bilhões no orçamento de 2024.

    Em entrevista à CNN no começo do mês, Lira já havia adiantado que a votação do marco fiscal na casa ficaria para agosto, após o recesso parlamentar.