Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Lula avalia relação com Congresso e diz que Bolsonaro “preparou golpe” e deve ser punido

    Presidente entende que reeleição de Arthur Lira e Rodrigo Pacheco é positiva

    Tiago Tortellada CNN em São Paulo

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou nesta quinta-feira (2) que Jair Bolsonaro (PL) “preparou o golpe” de Estado e que é necessário puni-lo.

    “Esse cidadão preparou o golpe. Hoje eu tenho consciência e vou dizer em alto e bom som: esse cidadão preparou o golpe. Eles queriam fazer aquela bagunça no dia 1° de janeiro, mas eles perceberam que não dava, porque tinha muita polícia e muita gente na rua”, disse Lula em entrevista ao jornalista Kennedy Alencar, da RedeTV!.

    Além disso, o chefe de Estado afirmou que o ex-mandatário cometeu crimes e desrespeitou os outros Poderes da República, devendo responder na Justiça.

    “Ele precisava ter o mínimo de respeito. Ele não teve e incentivou muita gente a segui-lo”, acrescentou.

    Lula também destacou que, em sua opinião, Bolsonaro deve ser “julgado em algum momento por genocídio contra a população vítima da Covid e pelo que aconteceu com os Yanomami”.

    “Esse cidadão teve a pachorra de desrespeitar tudo aquilo que a gente tinha de normalidade na política brasileira. Ele ofendeu a Suprema Corte, ofendeu o Congresso Nacional, ele ofendeu o Papa, ofendeu o Macron [presidente da França], a mulher do Macron… ele ofendeu todo mundo”, pontuou.

    A defesa de Jair Bolsonaro afirmou à CNN que não irá se manifestar.

    Em outro momento, Lula também afirmou que só será candidato à reeleição se tiver saúde.

    Reeleição no Congresso

    Nesta quarta-feira (1°), Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (PSD-MG) foram reeleitos presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado, respectivamente.

    Sobre isso, Lula avaliou que era importante a manutenção de Lira à frente da Câmara devido sua experiência, sendo “uma peça importante”, assim como Pacheco, visando a aprovação de projetos do governo no Congresso.

    “Acho que se nós soubermos trabalhar corretamente, o Lira vai cumprir todos os acordos. Acho que temos a quantidade de deputados que a gente quiser para ganhar em cada proposta”, ponderou.

    “Eu não terei problema de fazer quantas reuniões forem necessárias para que a gente estabeleça a boa governança no Brasil”, acrescentou, pontuando que tem estabelecido boa relação tanto com Lira quanto com Pacheco.

    Ainda assim, Lula afirmou que o Congresso “precisa menos do governo” do que o inverso, fazendo com que o Executivo tenha que ter “disposição e vontade” de conversar. “E isso eu gosto de fazer”, destacou.

    Além disso, disse que não acredita que a oposição terá 32 votos — a quantidade de parlamentares que escolheram Rogério Marinho (PL-RN) no Senado — em muitas votações dentro do Congresso.