Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Eleições 2022

    Lula fala em renegociar dívida da população; Bolsonaro cita aumento do salário mínimo

    Candidato do PT atendeu à imprensa em Minas Gerais, enquanto o presidente fez evento político em Guarulhos, na Grande São Paulo

    Os candidatos à Presidência Luiz Inácio Lula da Silva e Jair Bolsonaro
    Os candidatos à Presidência Luiz Inácio Lula da Silva e Jair Bolsonaro Arte/CNN - Foto Lula: Ricardo Stuckert/ Foto Bolsonaro: Rodrigo Paiva/Getty Images

    Marcello Sapioda CNN

    Os candidatos à Presidência da República cumpriram agendas neste sábado (22) visando a reta final do segundo turno. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) conversou com a imprensa em Ribeirão das Neves, na Grande Belo Horizonte, enquanto o presidente Jair Bolsonaro (PL) participou de comício em Guarulhos, na Grande São Paulo.

    Lula comentou sobre a situação das famílias endividadas e afirmou que, se eleito, vai “negociar as dívidas”, citando as mulheres que cuidam das famílias.

    “Hoje, temos 80% da sociedade endividada. Não é dívida simples, não. É dívida, às vezes, com o cartão de crédito para comprar comida em supermercado. É por isso que anunciamos que nós vamos negociar essa dívida que esse povo tem”, disse Lula.

    “As pessoas chegaram numa situação que não podem mais pagar. Muita gente deve a água, muita gente deve a luz. O estado e a prefeitura têm que compreender que tem que negociar, porque essa gente não pode ficar no Serasa porque não pode pagar a luz ou a água. A maioria das dívidas são feitas por mulheres que são, na verdade, as que tomam conta das famílias, muito mais do que os homens”, declarou.

    Logo após a entrevista, Lula iniciou uma carreata na região metropolitana de Belo Horizonte ao lado de aliados como a ex-presidenciável Simone Tebet (MDB) e a deputada federal Marina Silva (Rede-SP).

    Bolsonaro, por sua vez, participou de um evento em Guarulhos (SP) que contou com o candidato ao governo de São Paulo Tarcísio de Freitas (Republicanos) e citou o cenário econômico em seu mandato. O presidente reafirmou que, se reeleito, irá aumentar o salário mínimo para aposentados e servidores e confirmou a manutenção de Paulo Guedes como ministro da Economia.

    “Atendemos os mais pobres com o auxílio emergencial, à classe que emprega no Brasil, aos bares e restaurantes, conseguimos manter o emprego de todo mundo e o Brasil está sendo exemplo para o mundo na questão econômica”, declarou

    “O terceiro mês consecutivo de deflação. A gasolina, quem diria, lá embaixo, e o atendimento aos mais pobres, aos mais necessitados, com o Auxilio Brasil, bem diferente do Bolsa Família — um auxílio que realmente é algo [para] que aos mais pobres [possam] passar o mês”, disse.

    O presidente ainda participou de uma live com apoiadores, como o jogador Neymar; integrantes do governo, como o ministro Paulo Guedes; e aliados, como o deputado federal eleito Nikolas Ferreira (PL-MG).

    Galeria: Veja quem já declarou apoio a Lula e Bolsonaro no segundo turno das eleições