Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Lula: “Hoje temos certeza que país correu risco de golpe em função das eleições”

    Presidente indicou que ruptura institucional não ocorreu porque comandantes das Forças Armadas não aceitaram a ideia do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL)

    Lucas SchroederVictor Aguiarda CNN

    São Paulo

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou, nesta segunda-feira (18), ter certeza de que o país correu “sério risco” de sofrer um golpe de Estado devido ao resultado das eleições de 2022. Segundo ele, a tentativa de ruptura institucional não se confirmou porque parte dos comandantes das Forças Armadas não aceitaram a ideia do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

    Durante reunião ministerial nesta segunda-feira, Lula citou os depoimentos à Polícia Federal (PF) de integrantes do governo Bolsonaro e de ex-comandantes das Forças Armadas que revelaram a suposta trama golpista orquestrada pelo ex-chefe do Executivo.

    Na última sexta-feira (15), o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), derrubou o sigilo de 27 depoimentos sobre a tentativa de golpe no país.

    “Hoje temos certeza que esse país correu sério risco de ter um golpe em função das eleições de 2022. E não teve golpe não só porque algumas pessoas que estavam no comando das Forças Armadas não quiseram fazer, não aceitaram a ideia do presidente, mas porque o presidente é um covardão, não teve coragem de executar aquilo que planejou”, declarou Lula.

    “Ele ficou dentro de casa, aqui no Palácio, chorando quase um mês. Preferiu fugir para os EUA ao fazer o que tinha prometido, na expectativa de que fora do país o golpe poderia acontecer, porque eles financiaram as pessoas nas portas dos quartéis. Como não deu certo o golpe, eles agora estão dizendo estamos ferindo a democracia, que eles eram inocentes, que apenas fizeram discussões, que não houve nada de concreto, mas sabemos que houve a tentativa de um golpe nesse país”, acrescentou.

    De acordo com o presidente, além de resolver problemas da economia, da saúde e do transporte, por exemplo, governo necessita consolidar o processo democrático no país.

    “Temos que fazer um esforço imenso para garantir que a Constituição seja respeitada, para garantir que as instituições que garantem a democracia continuem funcionando, para garantir que a relação entre o Poder Executivo, Legislativo e Judiciário continue cada vez mais harmônica, cada um cumprindo a sua tarefa, cada um cumprindo com sua obrigação”, completou Lula.

    A CNN entrou em contato com a equipe de Bolsonaro a respeito da declaração de Lula, mas não teve retorno até o momento.