Lula se aproxima do ‘PSDB da Constituinte’ e tem encontros com Aloysio e Marconi

Movimento é para formar "mutirão" de forças políticas nas eleições; Aloysio diz que "não se trata, neste momento, de apoio eleitoral, mas de conversar sobre Brasil"

Thais Arbexda CNN

Ouvir notícia

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se reuniu, nesta quinta-feira (20), com o ex-ministro Aloysio Nunes, do PSDB, em São Paulo.

O encontro aconteceu por intermédio do advogado do petista, Cristiano Zanin Martins. A conversa foi antecipada pelo colunista Guilherme Amado, do ‘Metrópoles’, e confirmada pela CNN.

“Não se trata, neste momento, de apoio eleitoral. A conversa foi sobre Brasil. Disse a Lula que, se ele for eleito, o país que ele receberá estará em condições muito piores do que ele recebeu de Fernando Henrique Cardoso em 2002. Nesse contexto, concordamos que será preciso um ‘mutirão’ de muitas forças políticas para reconstruir em novas bases aquilo que foi desconstruído no governo Jair Bolsonaro”, afirmou Aloysio à CNN.

No fim do ano passado, Lula se reuniu com o ex-governador de Goiás Marconi Perillo, também do PSDB.

De acordo com relatos, esse foi o segundo encontro entre Lula e Aloysio, que têm mantido conversas também pelo telefone. Eles haviam estado juntos em setembro do ano passado.

As conversas, segundo aliados do ex-presidente, têm como pano de fundo a avaliação de Lula de que ele precisa formar o que tem chamado de ‘mutirão’ para a disputa presidencial deste ano. O petista tem dito que é preciso formar uma frente ampla de reconstrução da política para enfrentar a eleição em outubro.

Nesse cenário, avaliam aliados de Lula, é fundamental a reaproximação com o que o próprio petista chamou nesta semana de “PSDB da Constituinte”.

Na quarta (19), ao defender a união com o ex-governador Geraldo Alckmin, Lula afirmou que o ex-tucano não faz parte do PSDB do atual governador de São Paulo, João Doria.

“Espero que o Alckmin esteja junto, sendo vice ou não sendo vice. Parece que ele se definiu em fazer oposição não apenas ao Bolsonaro, mas ao ‘dorismo’ aqui em São Paulo. É importante lembrar que o PSDB do Doria não é o PSDB social-democrata do Mario Covas, do Fernando Henrique Cardoso e do José Serra criado no período da Constituinte, no tempo do Franco Montoro”, declarou Lula.

Mais Recentes da CNN