Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Lula sobre PAC: Estamos retomando as obras para tirar a fotografia do Brasil como canteiro permanente

    Presidente afirmou que investirá em infraestrutura em seu primeiro ano de mandato do que Bolsonaro (PL) investiu em 4 anos

    Presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante a Conversa com o Presidente
    Presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante a Conversa com o Presidente Reprodução

    Flávio Ismerimda CNN

    São Paulo

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou, durante a Conversa com o Presidente desta segunda-feira (14), que quer reverter a imagem do Brasil como canteiro de obras permanente. O petista anunciou a intenção de retomar as 14 mil obras que ele afirmou estarem paradas quando chegou à Presidência.

    “As obras que estão começadas não podem parar. Nós encontramos 14 mil obras paradas e retomando todas elas para que a gente possa tirar o Brasil da fotografia de um canteiro de obras paradas para uma fotografia de obras funcionando, com trabalhadores trabalhando, ganhando salário”, disse o presidente.

    Lula criticou a gestão de Jair Bolsonaro (PL), acusou seu governo de investir pouco em infraestrutura e anunciou que, só neste primeiro ano do seu terceiro mandato, vai superar os gastos do ex-presidente ao longo de todo o mandato.

    “Em quatro anos, eles investiram R$ 21 bilhões em infraestrutura. Nós, apenas esse ano, estamos investindo R$ 23 bilhões. Isso pra mim é pouco, porque eu gostaria de ter mais. Eu gostaria que tivesse mais orçamento, mais recurso, para gente poder fazer mais investimento”, disse o chefe do Executivo.

    VÍDEO — Novo PAC convoca capital privado e público para obras estratégicas, diz Helder Barbalho

    Novo PAC

    O Governo Federal anunciou na sexta-feira (11) que o Novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) vai contar com R$ 1,7 trilhão em investimentos, sendo R$ 1,4 trilhão até 2026 e R$ 320,5 bilhões após 2026. O presidente Lula participou de um evento, no Rio de Janeiro, para detalhar o programa.

    Segundo informações do governo, o montante investido estará dividido da seguinte maneira: Orçamento Geral da União (OGU) direcionará R$ 371 bilhões; empresas estatais, R$ 343 bilhões; financiamentos somam R$ 362 bilhões; e setor privado, R$ 612 bilhões.

    O novo PAC está organizado em nove eixos de investimento e cinco grupos de medidas institucionais.

    O eixo que receberá maiores investimentos será Cidades Sustentáveis e Resilientes, com R$ 610 bilhões. Nesta seção estão contidas as moradias do Minha Casa Minha Vida, além de projetos para mobilidade urbana, gestão de resíduos sólidos e esgotamento.

    Na sequência aparece Transição e Segurança Energética, com investimento total de R$ 540 bilhões, que abarcará o Luz para Todos, com o objetivo universalizar o atendimento no Nordeste e em comunidades isoladas na Amazônia Legal.

    Novidade entre os eixos, Inclusão Digital e Conectividade terá como objetivo levar internet a escolas públicas e unidades de saúde, além de expandir as redes 5G e 4G. O investimento é de R$ 28 bilhões.

    Haverá ainda R$ 53 bilhões em investimentos para Defesa, no intuito de aumentar a capacidade de defesa nacional do país. Confira abaixo os nove eixos e respectivas cifras:

    • Cidades Sustentáveis e Resilientes: R$ 610 bilhões;
    • Transição e Segurança Energética: R$ 540 bilhões;
    • Transporte Eficiente e Sustentável: R$ 349 bilhões;
    • Defesa: R$ 53 bilhões;
    • Educação: R$ 45 bilhões;
    • Saúde: R$ 31 bilhões;
    • Água Para Todos: R$ 30 bilhões;
    • Inclusão Digital e Conectividade: R$ 28 bilhões;
    • Infraestrutura Social e Inclusiva: R$ 2 bilhões.

    VÍDEO — Qual impacto o novo PAC pode ter para o governo?