Manifestantes não seguem aviso de Bolsonaro e vão às ruas em Brasília

Uma das líderes da passeata, a deputada Bia Kicis negou que a reunião seja contra o Congresso e o STF

Foto: Nathália André / CNN Brasil

Natália André

Da CNN Brasil, em Brasília

Ouvir notícia

Pedindo desculpas ao presidente Jair Bolsonaro, manifestantes contra o Congresso e o STF foram às ruas de Brasília à pé. Há pessoas de todas as idades: crianças de colo, idosos e pouca proteção contra o novo coronavírus. No meio da semana, depois de quatro pessoas da comitiva que viajou com Bolsonaro aos EUA terem sido diagnosticadas com a doença, Bolsonaro pediu que as pessoas não fossem à manifestação por causa do vírus, que, nesta semana, foi declarado uma pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS)> 

As pessoas ficaram aglomeradas e são vistas poucas máscaras cirúrgicas. Os seguidores de Bolsonaro também pedem a saída da secretária Especial de Cultura, recém-empossada, Regina Duarte. Além da caminhada, motos, bicicletas, bicicletas elétricas e carros seguem um carro de som que toca músicas da campanha de Bolsonaro de 2018 e a deputada federal, Bia Kicis, que promoveu a carreata, assim que o presidente pediu, em pronunciamento nacional, que as pessoas não fossem às ruas.

No carro de som, a deputada afirmou que a manifestação não é contra o Congresso, mas, sim, a favor da democracia. Porém, não é o que se vê nos cartazes carregados pelos manifestantes que, muitas vezes, se utilizam de xingamentos para protestarem. Além disso, Bia Kicis também disse que as pessoas estão respeitando as recomendações do Ministério da Saúde de evitarem abraços e cumprimentos mais próximos como beijo. Mesmo assim, é possível ver muitos manifestantes a menos de um metro um do outro.

Os dois lados do Eixo Monumental, entre o Museu Nacional e o Congresso, estão fechados pelos carros que seguem a carreata fazendo um buzinaço. Já os manifestantes, que estão fora dos carros, ficaram no jardim do Congresso. Lá também tem outro carro de som menor.

Mais Recentes da CNN