Manifestantes protestam pelo país contra eleição de Lula

Parte do público pede intervenção militar neste feriado de 15 de novembro; levantamento da CNN registrou protestos em pelo menos 13 capitais

Da CNN

Centenas de manifestantes ocupam ruas em pelo menos 13 capitais neste feriado da Proclamação da República (15). Os protestos são contra a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à Presidência da República.

Na Zona Sul de São Paulo, os manifestantes começaram a chegar por volta das 10h da manhã e o protesto cresceu no início da tarde.

A manifestação é pacífica e ocorre próximo ao Parque do Ibirapuera e à Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), próximo ao Comando Militar do Sudeste do Exército.

Parte dos manifestantes fazem atos antidemocráticos e pedem intervenção militar.

Em Brasília, o protesto se concentra em frente ao QG do Exército, no Setor Militar Urbano. A Praça dos Três Poderes permanece fechada.

No Rio de Janeiro, a manifestação acontece em frente ao Comando Militar do Leste (CML), no centro da cidade. Pelo menos duas avenidas importantes da capital foram totalmente interditadas por manifestantes pró-Bolsonaro, segundo o Centro de Operações Rio (COR). Uma delas é a Avenida Presidente Vargas.

Durante o protesto houve um desentendimento entre manifestantes pró-Bolsonaro e torcedores do Flamengo, mas a política militar não precisou intervir.

Imagens feitas pela CNN mostram os apoiadores de Jair Bolsonaro com cartazes e camisas da seleção brasileira de futebol protestando pelas ruas do centro.

A Polícia Militar não soube informar à CNN a quantidade de pessoas que manifestam no Rio de Janeiro.

Em Belo Horizonte, os manifestantes se concentravam em frente ao comando da 4ª região militar do Exército, no bairro Gutierrez.

Em Florianópolis, a manifestação acontece em frente ao Batalhão Fernando Machado, no bairro Estreito. 

Levantamento da CNN verificou protestos também nas seguintes capitais:

-Campo Grande

-Maceió

-Fortaleza

-Goiânia

-Palmas

-Recife

– Belém

– Salvador

Em comum, todas as manifestações protestavam contra a vitória de Lula para a Presidência. Parte do público, porém, pedia também a intervenção militar, que é uma ação golpista e antidemocrática. 

Em relação à eleição de Lula, todas as auditorias e organizações que acompanharam as eleições deste ano não encontraram nenhuma irregularidade no processo eleitoral.

*Publicado por Daniel Reis