Marco Aurélio diz que depoimento por escrito significa respeito a Bolsonaro

Marco Aurélio Mello também negou à CNN que haja um mal-estar em função do voto apresentado por ele a favor do depoimento por escrito

Leandro Magalhães, da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), relator do inquérito que investiga a suposta interferência de Jair Bolsonaro (sem partido) na Polícia Federal, afirmou à CNN que autorizar o depoimento por escrito seria um gesto de respeito ao presidente.

“Seria por parte do Judiciário um reconhecimento do nosso direito. E seria uma deferência ao presidente. É o diálogo, a harmonia que a Constituição reclama entre os poderes. Independência e harmonia, cada qual atuando em sua área. Eu acho que é hora de nós nos compenetrarmos que devemos somar forças para buscar melhores dias”, ressaltou.

Assista e leia também:

Decisão de Marco Aurélio irrita ministros e divide STF

Marco Aurélio vota para que Bolsonaro possa depor por escrito

‘Não se pede nenhum privilégio’, diz Bolsonaro sobre depoimento por escrito à PF

Marco Aurélio Mello também negou à CNN que haja um mal-estar em função do voto apresentado por ele a favor do depoimento por escrito.

“Nós respeitamos muito a posição assumida pelo colega [Celso de Mello]. Mas o colegiado é um somatório de forças distintas. Não existe o não me toque. Disseram que o ministro Celso de Mello teria um desgaste. Não houve desgaste. Eu, por exemplo, cansei de ficar vencido sozinho. Nunca me senti desgastado. Isso é fake”, afirmou o ministro.

Marco Aurélio Mello
Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello
Foto: Rosinei Coutinho / SCO / STF / CP

 

Mais Recentes da CNN