À CNN, ministro da Educação diz querer Enem com questões menos ‘ideológicas’

Milton Ribeiro diz que haverá mudanças no conteúdo das provas, que terão perguntas mais técnicas e menos ideológicas

Produzido por Renata Agostini e Rudá Moreira, da CNN em Brasília

Ouvir notícia

Em entrevista exclusiva à analista da CNN Renata Agostini nesta quarta-feira (2), o ministro da Educação, Milton Ribeiro, disse querer um Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) com perguntas mais técnicas e menos ideológicas. 

“Nós sabemos que, muitas vezes, havia perguntas muito subjetivas ou até mesmo com cunho ideológico, isso nós não queremos. Queremos provas técnicas que exatamente avaliem o aluno naquilo que ele sabe e que é necessário para ele poder acessar o ensino superior”, declarou. 

Ele citou como exemplo uma questão que citaria a vestimenta de travestis. 

“Por exemplo, há um ou dois anos atrás, não me lembro qual foi a data, havia perguntas relativas, por exemplo, a vestimenta de travestis, que, naturalmente, a grande maioria do povo e dos alunos desconheciam”, afirmou. “São terminologias próprias, com todo respeito que tenho à orientação de cada um, no entanto não é um tema comum no conhecimento, não se aprende em escolas essas coisas”.

Uma das questões de português do Enem 2018 requeria a interpretação de um texto sobre o “pajubá”, conjunto de gírias e expressões usadas por gays e travestis, mas não requeria nenhum conhecimento prévio do assunto. Para Ribeiro, o Enem não é o lugar para abordar esses temas.

“Eu acho que a prova do Enem não é o espaço público para discussão desses temas, que são relevantes”, falou. “O Enem é para avaliar candidatos a ter um acesso ao ensino superior e, ali, eu vou procurar verificar qual o conhecimento que ele tem em determinados temas. Existem outros palcos ou outros lugares, outros espaços para discutirmos esse tipo de tema, fora da prova do Enem”, completou.

Abstenção

O ministro também falou sobre as expectativas de abstenção da prova, que bateu recorde na edição de janeiro deste ano. 

“Eu acho que o cenário mudou, eu espero né. Os números que a gente trabalha é em torno de uma abstenção máxima de 25 a 30%, mas nós esperamos que a gente consiga responder a esperança dos meninos e das meninas, dos jovens que passaram todo esse ano estudando e se preparando para terem acesso ao ensino superior.”

O edital para a próxima edição do exame foi publicado nesta quarta. As datas previstas para aplicação são nos dias 21 e 28 de novembro.

O ministro da Educação, Milton Ribeiro
O ministro da Educação, Milton Ribeiro
Foto: Isac Nóbrega (16.jul.2020)

 

Mais Recentes da CNN