Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    “Ministros senadores” vão participar de votação de Dino no Senado

    Sabatina na CCJ e a votação em plenário estão marcadas para esta quarta-feira (13)

    Renan Filho (centro) e Wellington Dias (à direita) voltarão ao Senado para sabatina de indicados ao STF e à PGR; na foto, Filho cumprimenta Eduardo Girão (Podemos-CE)
    Renan Filho (centro) e Wellington Dias (à direita) voltarão ao Senado para sabatina de indicados ao STF e à PGR; na foto, Filho cumprimenta Eduardo Girão (Podemos-CE) 1º/02/2023 - Geraldo Magela/Agência Senado

    Pedro Teixeirada CNN

    Brasília

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vai exonerar, ainda nesta terça-feira (12), ao menos quatro ministros que também são senadores.

    O objetivo é garantir a participação deles na votação da indicação de Flávio Dino para o Supremo Tribunal Federal (STF).

    Serão exonerados:

    • Carlos Fávaro (Agricultura),
    • Wellington Dias (Desenvolvimento Social),
    • Renan Filho (Transportes),
    • e Camilo Santana (Educação).

    A exoneração será válida apenas para esta quarta-feira (13), dia da sabatina de Dino na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e da votação em plenário.

    À CNN, o ministro do Desenvolvimento Social, Wellington Dias, afirmou que o objetivo da exoneração é “participar deste momento importante da sua vida [Flávio Dino] e do Brasil, da apreciação do seu nome para o STF”.

    O governo está otimista de que Flávio Dino consiga a aprovação na CCJ, e ultrapasse a barreira de 50 votos no plenário do Senado. Para confirmar o nome ao STF, o atual ministro da Justiça e Segurança Publica precisa de 41 votos no plenário.

    Mesmo que a indicação seja reprovada pela CCJ, o plenário do Senado terá a palavra final sobre a aprovação. A votação será secreta.