Molica: É improvável que Bolsonaro pare ataque às urnas com medidas do TSE

No quadro Liberdade de Opinião, jornalista Fernando Molica falou sobre as duas medidas aprovadas, por unanimidade, pelo TSE contra o presidente da República

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

No quadro Liberdade de Opinião desta terça-feira (3), Fernando Molica falou sobre as duas medidas aprovadas, por unanimidade, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), após os ataques ao sistema eleitoral e ameaças à realização das eleições em 2022.

Os ministros aprovaram a instauração de um inquérito administrativo contra Bolsonaro e, ainda, pediram para incluir o presidente no inquérito das fake news que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF). 

“É uma resposta da Justiça Eleitoral às sucessivas acusações e até provocações do presidente Jair Bolsonaro em relação à urna eletrônica, às ameaças de não realização das eleições”, disse Molica. “O tribunal vinha reagindo por notas e o vídeo sobre fake news. O duelo era verbal, a partir de ontem, não; o TSE decidiu que tinha que ir além para esse freio de arrumação, então, partiu para esses dois inquéritos”, completou. 

“Agora é uma tentativa de arrumar essa situação, para ver se com esse susto o presidente Jair Bolsonaro segura um pouco esse ímpeto — o que é bem improvável”, avaliou Molica.

O Liberdade de Opinião tem a participação de Fernando Molica e Alexandre Garcia. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

Fernando Molica no quadro Liberdade de Opinião
Fernando Molica no quadro Liberdade de Opinião
Foto: CNN Brasil (3.ago.2021)

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.

Mais Recentes da CNN