Molica: Falha em prévias deixa ainda mais evidente quebra de unidade do PSDB

No quadro Liberdade de Opinião, Fernando Molica repercutiu suspensão das prévias da sigla após problemas no aplicativo de votação

Da CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

No quadro Liberdade de Opinião desta segunda-feira (22), o jornalista Fernando Molica falou sobre a suspensão das prévias do PSDB, que vão definir o candidato à Presidência da sigla, após o aplicativo de votação ter problemas.

Estão na disputa o governador de São Paulo, João Doria, o do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, e o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio.

Apenas 8% dos tucanos cadastrados conseguiram votar. A Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, responsável pela criação do aplicativo, garantiu que os votos registrados não serão perdidos e a segurança do sistema não foi afetada.

“A famosa calça apertada do governador João Doria virou uma saia justa do PSDB inteiro”, disse Molica. “Notamos, na semana passada, que havia um esforço de demonstração de união. Até no debate da CNN, os três pré-candidatos tentaram fazer um discurso de unidade dentro do partido, de superação das divergências. Ontem, foi tudo pro espaço.”

“Quebrou-se a unidade do partido, ou melhor, a unidade que já estava quebrada ficou ainda mais evidente. Houve até citações explicitais ao deputado federal Aécio Neves, que é líder da dissidência ao grupo paulista liderado por João Doria”, continuou o jornalista.

“Os candidatos do PSDB já não vinham bem nas pesquisas de opinião e, agora, expõem suas entranhas e fica uma marca de incompetência [da sigla]. Não adianta culpar só a fundação contratada. Faltou competência ao partido para contratar um sistema que fosse mais eficiente e não gerasse essa situação constrangedora”, concluiu.

O Liberdade de Opinião teve a participação de Fernando Molica e Ricardo Baronovsky. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

Fernando Molica no quadro Liberdade de Opinião / CNN Brasil (22.nov.2021)

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.

(Publicado por: André Rigue)

Mais Recentes da CNN