Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Moraes dá mais prazo para PF enviar análise de suposto vazamento de dados por Bolsonaro

    Marcelo Camargo/Agência Brasil

    Gabriela CoelhoGabriel Hirabahasida CNN

    Brasília

    O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, concedeu mais prazo para que a Polícia Federal elabore um relatório sobre as mensagens, obtidas após quebra de sigilo, incluídas no inquérito sobre suposto vazamento de dados sigilosos pelo presidente Jair Bolsonaro.

    Moraes atendeu a um pedido da própria PF. O ofício da PF é sigiloso e o despacho do ministro não informa qual o novo prazo que a corporação terá para cumprir a decisão do STF.

    “Defiro o requerimento da Polícia Federal de dilação de prazo para integral cumprimento do despacho proferido em 2/5/2022 inclusive em relação ao pedido de apresentação de relatórios semanais a esta Corte, com juntada em apenso sigiloso, justificada, em todas as ocasiões, eventual necessidade de maior prazo para a finalização da diligência”, decidiu o ministro.

    Em agosto de 2021, o presidente divulgou nas redes sociais a íntegra de um inquérito da Polícia Federal que apura suposto ataque ao sistema interno do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 2018.

    Segundo a Corte, não representou qualquer risco às eleições.A primeira decisão do ministro é do início de maio. O magistrado tomou a decisão após a Procuradoria-Geral da República pedir o arquivamento da investigação, e a PF afirmar que viu indícios de que o presidente cometeu crime ao divulgar os dados sigilosos.

    Moraes argumentou que o material da quebra de sigilo é fundamental para a análise da PGR. No dia 18 de maio, o ministro concedeu mais 10 dias para que a decisão fosse cumprida, mas a PF pediu mais dias para que pudesse atender à decisão.