Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Moraes manda diretor de Bangu informar sobre estado de saúde de Roberto Jefferson

    Político está preso desde outubro; defesa pede transferência para hospital particular

    Ex-deputado Roberto Jefferson
    Ex-deputado Roberto Jefferson Fábio Motta/Estadão Conteúdo - 16.mai.2015

    Lucas Mendesda CNN

    Brasília

    O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou, nesta sexta-feira (2), que o diretor do presídio de Bangu 8, no Rio de Janeiro, informe sobre o atual estado de saúde do ex-deputado Roberto Jefferson. O prazo para prestar as informações é de 24 horas.

    A defesa de Jefferson pediu a Moraes sua “imediata” transferência para o Hospital Samaritano Botafogo, unidade particular de saúde.

    Segundo os advogados, o local teria “condições para fazer os exames necessários e oferecer tratamento médico completo e adequado”. Caso não seja transferido, conforme a defesa, o estado de saúde do ex-deputado pode se agravar de forma “irreversível” diante da “gravidade e urgência da situação”.

    O político está preso preventivamente desde outubro do ano passado, depois de efetuar disparos contra policiais federais que cumpriam mandados de busca e apreensão na casa dele, no interior do Rio de Janeiro.

    Moraes também mandou o diretor da unidade prisional esclarecer se cumpriu uma decisão anterior do ministro.

    O magistrado havia autorizado Jefferson a fazer exames que o sistema penitenciário não tenha condições técnicas de realizar, “mediante agendamento previamente fixado, com deslocamento sob escolta policial e retorno ao estabelecimento prisional no mesmo dia”.

    No início de maio, a maioria dos ministros do STF votou para manter a prisão de Jefferson. Entre as ações que levaram o político à cadeia estão a divulgação de notícias falsas sobre as eleições e de vídeo com ofensas à ministra Cármen Lúcia, presidente da Suprema Corte.

    Jefferson está preso em Bangu 8, no Hospital Penitenciário Hamilton Agostinho.