Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Moro diz a aliados que sofre perseguição política de Lula

    Comentário em conversas reservadas veio após a decisão de Dias Toffoli que anulou provas da delação da Odebrecht

    Senador Sergio Moro, em Brasília
    Senador Sergio Moro, em Brasília Foto: Pedro França/Agência Senado

    Raquel Landimda CNN

    São Paulo

    O senador Sergio Moro disse a aliados que está sofrendo uma “perseguição política” do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O comentário em conversas reservadas veio após a decisão do ministro Dias Toffoli que anulou as provas da delação da Odebrecht. Procurado, Moro não deu entrevista.

    “O que eles vão alegar? Vão achar alguma prova? Deixem investigar. Isso é perseguição política do governo Lula que está utilizando todos os braços do governo contra ex-integrantes do Judiciário”, disse Moro à pessoas próximas.

    Toffoli determinou que sua decisão fosse enviada aos órgãos investigadores para tomada de providências contra os agentes públicos que cometeram arbitrariedades na prisão de Lula e que participaram do acordo de leniência da Odebrecht.

    Várias áreas do governo vão participar da investigação. Na esfera criminal, a Polícia Federal vai apurar se houve crimes como abuso de poder ou corrupção e a pena pode chegar até a prisão.

    No âmbito administrativo, a atuação é da Controladoria Geral da União e do Conselho Nacional de Justiça, que já tem uma sindicância abertura. Já a Advocacia Geral da União pode estabelecer o pagamento de indenizações contra a União.

    A aliados, Moro sustenta que não houve contaminação das provas e que o acordo de cooperação jurídica internacional não era necessário – mesma posição defendida pela associação nacional de procuradores da república em nota.

    Procurada pela CNN, a equipe de Lula preferiu não comentar.