Moro soube pela imprensa de indicação de Bivar à disputa do Planalto

"Tenho que respeitar decisão do partido", diz ex-juiz federal sobre a decisão do União Brasil

Sergio Moro em evento como pré-candidato a presidência da república pelo Podemos
Sergio Moro em evento como pré-candidato a presidência da república pelo Podemos Foto: SUAMY BEYDOUN/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO

Bruna Ostermannda CNN

em Porto Alegre

Ouvir notícia

A notícia de que o presidente do União Brasil, Luciano Bivar, será o indicado a pré-candidato do partido pegou Sergio Moro de surpresa. O ex-ministro está no Rio Grande do Sul desde segunda-feira (11), onde tem participado de eventos e se posicionado como pré-candidato.

Em entrevista à CNN, Moro disse que soube pela imprensa da decisão da bancada do União Brasil: “Agora vi essas notícias. Vamos tomar conhecimento e se informar bem delas, o que foi exatamente decidido. Mas é evidente, tenho que respeitar a visão do partido, e o Luciano Bivar é um grande nome político.”

Sobre a falta de apoio dentro do próprio partido, Sergio Moro destacou: “Sou um soldado da democracia no partido. O importante é que a gente tenha um centro unificado para conseguir romper essa polarização política. Os meus contatos, quem está construindo esse centro no União Brasil, é o Luciano Bivar”. O ex-ministro disse que vai aguardar os acontecimentos.

No entanto, horas antes, na segunda-feira, Moro ainda se colocava na disputa ao Palácio do Planalto. “Eu sou o único dos pré-candidatos que têm destacado que, além das reformas e do plano para combater as causas da pobreza, além de cuidarmos da educação e da saúde com planejamento, dedicação e esforço e discutir a segurança pública com maior profundidade, precisamos recuperar os valores perdidos, princípios maiores, através de uma reforma ética do estado”, disse durante evento na Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul, na Serra Gaúcha.

Nesta terça-feira (12), Sérgio Moro participou do painel “Quais os caminhos políticos para o Brasil?”, junto com o pré-candidato do Novo Luiz Felipe D’Àvila, no Fórum da Liberdade. O evento, organizado pelo Instituto de Estudos Empresariais, debate ideias liberais para o Brasil.

Durante a palestra, ele voltou a falar sobre Lula e Bolsonaro. Disse que ambos são projetos autoritários e que não prezam a liberdade, e que não têm plenas credenciais democráticas.

Durante a exposição ao público do evento, Sérgio Moro mencionou que tem críticas ao STF. À CNN, ele detalhou: “temos que reconhecer que parte do STF proferiu decisões que enfraqueceram o combate à corrupção”, mencionou. Recentemente, a Suprema Corte considerou, por sete votos a quatro, o ex-juiz suspeito para julgar o ex-presidente Lula no caso do triplex do Guarujá.

Moro ainda falou que considera errada a decisão do Tribunal de Contas da União de cobrar diárias que teriam sido pagas irregularmente a procuradores da Lava Jato: “O trabalho da força-tarefa da Lava Jato levou à recuperação de R$ 6 bilhões. E a perspectiva de recuperação de dinheiro é muito superior, na ordem de R$ 15 bilhões. Então, como vai se focar nesse assunto específico de diárias que foram pagas para procuradores, que tiveram que ser deslocados para Curitiba, para realizar o seu trabalho para realizar a força-tarefa. Então ao meu ver, com todo respeito ao TCU, é uma decisão que não se sustenta”, concluiu.

Mais Recentes da CNN