Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Móveis do Alvorada: Michelle Bolsonaro critica “cortina de fumaça” do governo Lula e fala em acionar a Justiça

    Ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) também reagiu nas redes e falou em “falsa comunicação de furto”

    Michelle fez pronunciamento após móveis do Alvorada serem encontrados
    Michelle fez pronunciamento após móveis do Alvorada serem encontrados Arquivo - Wilton Junior/Estadão Conteúdo

    Maria Clara Matosda CNN*

    São Paulo

    A ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro (PL) falou em uma “cortina de fumaça” feita pelo governo Lula com base em móveis que teriam sumido do Palácio do Alvorada.

    Os 261 móveis tidos como desaparecidos foram encontrados pela Comissão de Inventário Anual da Presidência da República.

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e a primeira dama Rosângela da Silva, a Janja, haviam atribuído o sumiço dos móveis à Michelle e ao antigo chefe do Executivo, Jair Bolsonaro (PL).

    Em resposta, após a revelação da Presidência, Michelle disse que a atual gestão sempre soube “que isso era uma mentira”. “Mas queriam uma cortina-de-fumaça para tirar o foco da notícia de que eles gastariam o dinheiro do povo para comprar móveis luxuosos por puro capricho e sem licitação”. A declaração da ex-primeira-dama foi divulgada por meio de nota do PL Mulher, presidido por ela.

    Michelle também disse que sofreu “desgaste emocional” por causa da declaração de Janja e Lula sobre os móveis. Ela disse que “medidas judiciais serão adotadas.”

    No X, antigo Twitter, o ex-presidente também comentou o caso e mencionou que Lula teria incorrido em “falsa comunicação de furto”.

    A CNN tenta contato com o Planalto para comentar as declarações de Michelle e Bolsonaro.

    Na noite desta quinta-feira (21), o ministro Paulo Pimenta, responsável pela Comunicação do governo, disse que “esses itens não foram encontrados, estavam desaparecidos”. “E ao longo do ano, as equipes do governo conseguiram achar todos eles perdidos em diversos galpões, diversos locais, onde esses itens estava sem que ninguém soubesse, porque não havia nenhum controle, nenhum catálogo ninguém sabia onde tudo isso estava”.

    Sobre a crítica de Bolsonaro, Pimenta disse que, quando o ex-presidente “fez a transição para o presidente Lula, não conseguiu entregar”. “Nem ele sabia onde esses itens estavam perdidos, e foi o nosso governo que recuperou”.

    *Sob supervisão de Nathan Lopes