Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    MP abre investigação sobre gastos da ministra Daniela Carneiro na campanha eleitoral

    Apuração diz respeito a compras feitas em duas gráficas durante disputa da política à reeleição como deputada federal em 2022

    Bárbara Brambilada CNN

    Em São Paulo

    O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) abriu um inquérito civil para apurar gastos da ministra do Turismo, Daniela Carneiro (União Brasil-RJ), durante a campanha dela à reeleição como deputada federal em 2022. Após reeleita, Carneiro foi anunciada no ministério pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

    A apuração diz respeito a gastos de R$ 1 milhão em duas gráficas de um ex-assessor da Prefeitura de Belford Roxo (RJ), administrada pelo marido da ministra, Wagner dos Santos Carneiro, conhecido como Waguinho.

    Os estabelecimentos não funcionam nos endereços fiscais declarados, segundo notícia-crime apresentada pelo deputado federal Deltan Dallagnol (Podemos-PR).

    Conforme documento do MP-RJ, a investigação busca apurar o desvio de dinheiro público na utilização do Fundo Especial de Financiamento de Campanhas (FEFC).

    O Ministério Público solicitou ao prefeito de Belford Roxo, Waguinho, os procedimentos licitatórios e de pagamentos relativos a uma das gráficas, que já foi fornecedora da prefeitura. Também foi solicitada a linha do tempo societária das empresas e a relação delas com o ex-assessor da administração municipal.

    Em nota, a ministra Daniela Carneiro pontuou que “as gráficas contratadas entregaram todos os materiais de campanha demandados”.

    Segundo ela, eles foram retirados “nos parques gráficos indicados pelas empresas: Printing Midia, situada na Zona da Leopoldina, e Rubra Gráfica, que terceiriza parte de sua produção na empresa Lastro, em São Cristóvão, não sendo de responsabilidade da ministra a divergência cadastral das gráficas junto à Receita”.

    “Ela ressalta ainda que teve todas as suas contas de campanha aprovadas pelo TRE, que acredita na Justiça e que os fatos serão esclarecidos com a maior brevidade possível”, pontua a assessoria.