Não era comemoração, diz deputado sobre almoço com Bolsonaro após mortes recorde

'É absolutamente irresponsável', avaliou uma das lideranças da oposição sobre o evento ocorrido no Palácio do Planalto

Presidente e políticos almoçaram na última terça-feira (2)
Presidente e políticos almoçaram na última terça-feira (2) Foto: Facebook/Reprodução

Rudá Moreira, da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

“Ninguém estava comemorando nada, não. A gente estava almoçando.” Esta é a justificativa dada pelo deputado que organizou o almoço de Jair Bolsonaro (sem partido) com um governador e vários parlamentares na última terça-feira (2), no mesmo dia em que o Brasil registrou o que seria o recorde diário de óbitos por Covid-19 até então: 1.726 mortes.

O referido almoço aconteceu na última terça-feira, no Palácio do Planalto, e foi organizado pelo deputado federal mineiro Fábio Ramalho (MDB), conhecido por servir tradicionais banquetes de culinária tradicional de Minas Gerais.

Participaram do evento o governador mineiro, Romeu Zema (Novo), deputados federais e senadores eleitos por Minas Gerais; ministros do governo, como o do Turismo, Gilson Machado, e o presidente do Tribunal de Justiça do Estado, Gilson Soares Lemes, além de outros políticos e integrantes do Judiciário mineiro.

Também participaram do almoço os senadores Eduardo Braga (MDB-AM) e Izalci Lucas (PSDB-DF), além dos líderes do governo no Congresso, Eduardo Gomes (MDB-TO), e no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), e do vice-líder do governo Carlos Viana (PSD-MG).

Críticas da oposição

O almoço, entretanto, foi alvo de críticas da oposição. “Não tem mais leito, não tem mais UTI, as pessoas estão morrendo. É absolutamente irresponsável, o que eles estão fazendo”, repreendeu o líder da Minoria no Congresso, deputado Carlos Zarattini (PT-SP), à CNN.

O líder da Oposição no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), também criticou a organização do almoço no Planalto.

“A história julgará aqueles que, no momento mais difícil que o nosso país viveu, tiveram sensibilidade, tiveram empatia, fizeram de tudo para poupar vidas, e aqueles que, por outro lado, fizeram pouco caso, que ignoraram a ciência e que contribuíram para a ampliação da tragédia”.

“Infelizmente, nos últimos dias, o Brasil tem acumulado recordes de mortes e notícias negativas e o presidente Bolsonaro continua fazendo aglomerações e indo contra as medidas sanitárias. Parece que o governo brinca com a vida da população”, avaliou à CNN o líder da Minoria no Senado, Jean Paul Prates (PT-RN).

O deputado Fábio Ramalho, que organizou o evento, rebateu à CNN as críticas recebidas. “Os parlamentares que estão criticando deixaram de almoçar naquele dia?” 

Segundo Ramalho, a pandemia foi abordada na conversa. “Ele (Bolsonaro) falou de vacina, disse que estavam chegando mais vacinas”, contou o parlamentar, que postou uma foto do almoço em suas redes sociais, na qual ele e o presidente da República estão sem máscara.

Mais Recentes da CNN