‘Não há parecer do Senado contra reeleição’, diz Alcolumbre

Daniel AdjutoDaniela Limada CNN

Ouvir notícia

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), rebateu, em nota, a manifestação de um consultor da Casa Legislativa contrária à reeleição dele. O parecer foi dado em resposta a uma consulta feita pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-RS), do grupo Muda Senado.

Leia mais:
Consultoria Legislativa do Senado diz que Alcolumbre não pode tentar reeleição
PGR diz ao STF que Congresso deve decidir sobre reeleição de Maia e Alcolumbre

“A Presidência do Senado Federal esclarece que não há parecer da Consultoria Legislativa do Senado Federal tratando da reeleição de membros das Mesas das duas Casas do Congresso, mas apenas uma Nota Informativa (nº 5.128, de 2020), assinada por um consultor da Casa, em resposta a solicitação feita pelo Senador Alessandro Vieira”, escreveu.

Na nota, Alcolumbre afirma ainda que o posicionamento da Casa sobre o tema foi dado ao Supremo Tribunal Federal por meio da advocacia do Senado.

Em resposta a uma ação apresentada pelo PTB ao STF, a equipe jurídica afirmou que há um paralelo entre a reeleição nos poderes Executivo e Legislativo que permite a recondução de Alcolumbre à presidência.

O senador Alessandro Vieira reagiu à nota de Davi Alcolumbre. “É difícil tapar o sol com a peneira. Estamos falando de uma vedação constitucional expressa. O Senado não tem a possibilidade de modificar isso por nenhum meio, salvo a aprovação de Emenda à Constituição. Qualquer coisa diferente disso representa um golpe contra a democracia”, disse o senador que integra o Muda Senado.

Leia a íntegra da nota:

“Brasília, DF, 24 de agosto de 2020. A Presidência do Senado Federal esclarece que não há parecer da Consultoria Legislativa do Senado Federal tratando da reeleição de membros das Mesas das duas Casas do Congresso, mas apenas uma Nota Informativa (nº 5.128, de 2020), assinada por um consultor da Casa, em resposta a solicitação feita pelo Senador Alessandro Vieira. Nota, aliás, cuja conclusão foi previamente solicitada por escrito conforme a ementa do trabalho: sobre a impossibilidade de reeleição do presidente do Senado Federal no presente contexto. O Presidente esclarece que, em atenção ao seu dever de “velar pelo respeito às prerrogativas do Senado”, imposto pelo art. 48, II, do Regimento Interno, e ao disposto no art. 6º da Lei nº 9.868/99, o Senado da República restringiu sua manifestação no âmbito do Supremo Tribunal Federal sobre o tema, por intermédio da Advocacia do Senado Federal, em resposta à intimação expedida nos autos da Ação Direta de Inconstitucionalidade 6524, proposta pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Nas informações prestadas em nome do Senado Federal, assinadas por Advogados também da Casa, a Advocacia do Senado defendeu a observância das prerrogativas constitucionais asseguradas a esta Casa Legislativa para definir a interpretação das suas normas, por meio de deliberação soberana dos 81 Senadores no Plenário. O Presidente do Congresso Nacional, na qualidade de Chefe do Poder Legislativo Federal, renova seu compromisso de zelar pela independência do Senado Federal, evitando-se que a opinião defendida por um partido ou por um grupo de 10 senadores seja imposta aos demais 71 Senadores, privando-os de exercer sua missão constitucional nesta ou em outras matérias.”

(*Colaborou Larissa Rodrigues, de Brasilia)

Mais Recentes da CNN