‘Não temos notícia de falta de alimentos’, diz ministra da Agricultura

Mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro publicou - e depois apagou - vídeo com relato de suposto desabastecimento em Minas Gerais

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina (23.abr.2019)
A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina (23.abr.2019) Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Guilherme Venaglia

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina (DEM), afirmou nesta quarta-feira (1º) que sua pasta “não tem notícia” de relato de falta de alimentos no país. Segundo a ministra, o abastecimento está “razoavelmente tranquilo”.

“Hoje, nós temos o abastecimento em todas as capitais e em todas as cidades. Não temos notícia de que esteja faltando qualquer tipo de alimento nas prateleiras dos supermercados, das vendas”, disse Tereza Cristina.

A fala foi feita durante entrevista coletiva ao lado de outros ministros para detalhar as ações do governo no combate aos impactos da pandemia do novo coronavírus. A afirmação da ministra contrasta com um vídeo publicado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em sua conta oficial no Twitter. Na imagem, um homem que apontava o desabastecimento na Ceasa de Contagem (MG), região metropolitana de Belo Horizonte.

O vídeo compartilhado pelo presidente foi desmentido pela Secretaria de Agricultura de Minas Gerais, que administra o entreposto de cargas. Em nota, o órgão informou que o espaço está funcionando normalmente. Depois que a veracidade do conteúdo da gravação foi questionada, a conta do presidente Jair Bolsonaro apagou a publicação.

A publicação foi criticada pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Em Brasília, Maia afirmou que “o Twitter do presidente deveria ter cuidado maior em relação ao que posta”. O deputado afirmou que “essas informações desencontradas podem gerar preocupação na socidade”.

A gravação está inserida em um contexto de disputa política entre o presidente da República e governadores de estados brasileiros sobre as medidas a serem adotadas para conter a propagação da COVID-19. A conta do presidente Jair Bolsonaro diz que os governadores eram os “culpados” do suposto desabastecimento em Minas Gerais e que o presidente defendia uma “paralisação responsável”.

Medidas

Apesar de dizer que os produtores continuam produzindo e entregando, Tereza Cristina afirmou que o Ministério da Agricultura está adotando medidas para prevenir que falte alimentos. A ministra enfatizou dois pontos de atenção: a produção de leite e o deslocamento dos caminhoneiros.

Em relação ao leite, a preocupação é pela falta de ser um dos segmentos mais pulverizados da agropecuária brasileira, com mais de 1 milhão de produtores individuais. Segundo ela, o governo está distribuindo cartilhas e informações de cuidados pessoais para que esses produtores possam se prevenir corretamente.

Assista e leia também:

Governo promete até R$ 200 bilhões contra efeitos do coronavírus na economia

Homens lavam menos as mãos do que as mulheres, e isso importa mais do que nunca

Brasil tem 240 mortes e 6.836 casos confirmados do novo coronavírus

O trabalho com os caminhoneiros está sendo feito em parceria com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas. A ministra diz que a circulação se mantém como deveria, mas que estão sendo estruturadas medidas para facilitar o trabalho desses profissionais diante das dificuldades relacionadas à pandemia. Com Estadão Conteúdo e Reuters

Mais Recentes da CNN