Nota do PSDB está equivocada e não há acordo, diz Leite sobre prévias

Partido realizou reunião nesta segunda-feira (22) entre as principais lideranças e representantes técnicos da sigla para discutir retomada da votação

João de Marida CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

O pré-candidato à presidência pelo PSDB e governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, afirmou nesta segunda-feira (22) que “não há acordo” sobre a conclusão da votação das prévias da sigla à Presidência da República no ano que vem, e que nota do partido está “equivocada”.

“A gente está diante de um impasse. A nota [divulgada pelo PSDB] está equivocada. […] Não houve esse acordo, até porque não se tem acordo sobre uma ferramenta que não se conhece”, afirmou a jornalistas.

O PSDB realizou nesta segunda-feira (22) uma reunião entre as principais lideranças do partido e representantes técnicos para avaliar qual o melhor momento para a retomada da votação das prévias.

Após o encontro, o partido anunciou que a votação das prévias presidenciais da sigla será concluída até o próximo domingo (28).

A decisão foi tomada em conjunto pela direção do partido e pelos três pré-candidatos, segundo o partido.

Leite afirmou ainda nesta segunda que estava sendo “surpreendido” pela nota. “Estamos convictos que venceríamos estas prévias, com elas realizadas neste domingo (21). Estaríamos aqui celebrando uma vitória, mas infelizmente vemos o aplicativo não suportado”, disse.

“Merece uma investigação profunda sobre eventuais ataques, até agora não teve informações se houve tentativas de ataques de hackeamento. O PSDB pode ter sido vítima de ataque que merece investigação.”

Ainda segundo o governador do Rio Grande do Sul, há uma “preocupação com a integridade e legitimidade deste processo”.

“Eu sou um candidato, me apresentei para ser uma alternativa. Eu entendo pela opção do aplicativo, acho que o presidente [do PSDB] fez bem a escolha na tentativa de abrir a votação para outras pessoas. Ônus e bônus. Mas esse processo, da forma que se apresenta, está com muito ônus que fere a credibilidade”.

Em nota divulgada nesta segunda, a campanha de Leite reafirmou que ” as respostas sobre o processo de votação ainda não foram respondidas”.

Prévias do PSDB

votação, iniciada neste domingo (21), foi paralisada após uma falha no aplicativo que impediu que diversos filiados do partido votasse no seu candidato à presidente para as eleições de 2022.

As campanhas de João Doria e Arthur Virgílio defendem que o pleito seja retomado no próximo domingo, dia 28, enquanto Eduardo Leite argumenta que, caso seja possível, as prévias deveriam ser retomadas em um prazo de 48 horas.

“Fiasco”

Em entrevista à CNN nesta segunda-feira (22), o pré-candidato à presidência pelo PSDB Arthur Virgílio (AM) criticou o sistema de prévias do PSDB e chamou de fiasco o processo do último domingo (21), que foi interrompido e ainda não tem data para ser concluído.

“Para ter ideia do tamanho do fiasco, o (ex-) presidente FHC não votou, Serra não votou e eu próprio não votei, o que beira o ridículo”, disse Virgílio, que foi prefeito de Manaus e senador pelo PSDB, ao acrescentar que o partido “ficou enfraquecido”, mas acredita que, assim que as prévias sejam concluídas, a legenda deve “voltar ao eixo”.

Leia a íntegra da nota da campanha de Eduardo Leite

A campanha de Eduardo Leite continua aguardando as respostas sobre o processo de votação das prévias e de que forma elas podem ser encerradas, com o voto dos filiados, o mais rápido possível.

São perguntas que até agora não foram respondidas: o que houve com o aplicativo? Ele tem condições de continuar sendo o instrumento de votação? Houve algum ataque hacker? O app de votação será substituído? Por qual Instrumento? De qual empresa? Com qual segurança técnica?

Eduardo Leite foi o único candidato, assim como a imprensa,  que permaneceu a tarde inteira desta segunda-feira no partido em Brasília, aguardando os laudos técnicos prometidos às 14h de hoje, e saiu do PSDB às 20h com nenhuma resposta e uma nota que relata um suposto entendimento sobre um sistema de votação e um instrumento digital que ainda não se sabe quais são. 

Reafirmamos a posição da campanha de que haja votação o mais rápido possível, e confiamos na condução do presidente Bruno Araújo em direção à manutenção da credibilidade e da confiabilidade deste processo de prévias. 

Mais Recentes da CNN