‘O sistema vai ficar meio capenga’, afirma ministro Marco Aurélio

Basília Rodriguesda CNN

Ouvir notícia

 

A julgar pelos últimos votos no STF sobre a possível reeleição de Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, os ministros estão divididos entre si. Integrante da corrente contrária à nova eleição, o ministro Marco Aurélio afirmou à CNN que acredita no voto da maioria pela “prevalência da Constituição”.

Ou seja, para ele, a corrente de que a reeleição é inconstitucional deve ganhar.

Leia também:
STF: Rosa Weber vota contra reeleição de Maia e Alcolumbre; faltam 3 votos
Líder do governo diz que votos no STF sobre reeleição reforçam Constituinte

O ministro Marco Aurélio Mello durante sessão do STF
O ministro Marco Aurélio Mello durante sessão do STF
Foto: Adriano Machado/Reuters (17.out.2020)

Até o momento, o placar está empatado para Rodrigo Maia, enquanto Davi Alcolumbre vê a sua vantagem ficar reduzida. Ainda faltam os votos de três ministros, o que pode virar o jogo para qualquer um dos lados.

O sentimento do decano da corte tem a ver com conversas recentes que ele teve com colegas de tribunal. “Se prevalecer o voto médio vai ficar pior que a emenda”, disse a respeito do voto do novato Nunes Marques, que autoriza apenas uma única reeleição consecutiva, o que beneficiaria Alcolumbre mas frustraria Maia – porque ele já vem de um mandato reeleito.

Marco Aurélio, para quem o voto do relator Gilmar Mendes é forte, disse que se a tese do colega vigorar “o sistema vai ficar meio capenga”.

Mais Recentes da CNN