Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Pacheco diz a Fernández que Congresso vai ajudar a Argentina em negociações com governo Lula

    Presidente do Senado afirmou que as dificuldades que o país vizinho enfrenta na economia geram reflexos no Brasil, já que são grandes parceiros comerciais

    Presidente da República Argentina, Alberto Fernández, em Brasília
    Presidente da República Argentina, Alberto Fernández, em Brasília Ricardo Stuckert/PR

    Marcos AmorozoBrenda Silvada CNN

    Em Brasília

    O presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), afirmou que o Congresso Nacional vai ajudar a Argentina nas negociações com o governo brasileiro para liberar ajuda financeira ao país vizinho, que enfrenta uma grave crise econômica.

    A fala veio depois de Pacheco receber no Senado o presidente da Argentina, Alberto Fernández, que, mais cedo, se encontrou com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no Palácio do Planalto. Os líderes dos dois países vêm articulando formas de o Brasil ajudar a economia da Argentina.

    Em entrevista coletiva após o encontro, o presidente do Senado disse que prometeu a Fernández colaborar com as ações desenvolvidas pelo Poder Executivo para destravar ajuda financeira à Argentina.

    “Eu me comprometi com o presidente Alberto Fernández de buscar, junto ao presidente Lula, uma audiência específica para compreendermos o que é o papel do Congresso nessas ações. E o nosso espírito é de fato de colaboração, de reconhecimento da importância da Argentina, dessa nossa relação bilateral”, afirmou.

    “Os argentinos, todos sabemos, enfrentam dificuldades hoje na economia e, por ser um grande parceiro comercial do Brasil, é natural que entendamos que o problema da Argentina também é um problema que gera reflexos no Brasil. É muito importante que tenhamos também, a partir de algum problema havido com algum membro, seja do Mercosul, seja de algum país membro dessa integração da América do Sul, que possamos identificar as formas de contribuição e de auxílios”, completou Pacheco.

    Além do presidente do Senado, estiveram presentes na recepção de Fernández os senadores Jaques Wagner (PT-BA), Fabiano Contarato (PT-ES) e Weverton Rocha (PDT-MA). Após a visita, o presidente argentino não falou com a imprensa e seguiu para o Supremo Tribunal Federal (STF), onde se encontrou com a presidente da corte, ministra Rosa Weber, e com outros ministros.

    Esta é a quarta vez que o presidente argentino vem ao Brasil em 2023 e quinta vez que Fernández se encontra com Lula no ano. Entre os motivos da vinda da comitiva argentina ao Brasil está a comemoração de 200 anos de relação diplomática entre os dois países.

    Em cerimônia no Palácio do Itamaraty, Fernández e a primeira-dama argentina, Fabíola Yañez, receberam das mãos de Lula as medalhas da Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul, a mais alta condecoração brasileira atribuída a cidadãos estrangeiros, e a Ordem de Rio Branco, atribuída a pessoas físicas, jurídicas, corporações militares ou instituições civis, nacionais ou estrangeiras, pelos serviços ou méritos excepcionais.