Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Pacheco se coloca à disposição para receber Anitta após críticas da cantora sobre Congresso “passar a boiada”

    Cantora publicou vídeo no Instagram, marcou o perfil do presidente do Senado e disse não ter conseguido marcar o de Arthur Lira, que a bloqueou na plataforma “por questões ambientais anteriores”

    Anitta pediu que as pessoas ajudem as vítimas no Rio Grande do Sul e se juntem para “defender a natureza do nosso país”
    Anitta pediu que as pessoas ajudem as vítimas no Rio Grande do Sul e se juntem para “defender a natureza do nosso país” Ton Molina/FotoArena/Estadão Conteúdo/Ivan Apfel/Getty Images

    Luciana Amaralda CNN Brasília

    O presidente do Congresso e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), se colocou à disposição para receber a cantora Anitta após ela criticar o Parlamento em relação a medidas que, segundo ela, podem supostamente prejudicar o meio ambiente. Informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do senador. Não há, porém, uma previsão concreta para um eventual encontro, até o momento.

    Na última sexta-feira (10), Anitta publicou um vídeo no perfil dela no Instagram afirmando que, “enquanto o Rio Grande do Sul está embaixo d`água, tem deputado e senador querendo se aproveitar e passar a boiada”.

     

    A expressão “passar a boiada” ficou conhecida por ser usada pelo então ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles, em 2020, do governo de Jair Bolsonaro (PL). Em reunião ministerial de abril daquele ano, Salles disse que o governo federal deveria aproveitar que “a imprensa está focada na cobertura da pandemia de coronavírus” para “ir passando a boiada e simplificando normas”.

    A cantora também escreveu que “está em curso um movimento no Congresso Nacional para acabar com as políticas de proteção da natureza”, entre outras críticas ao Parlamento. Ela relacionou as enchentes do Rio Grande do Sul com supostos “ataques” do Congresso à natureza.

    Anitta pediu que as pessoas ajudem as vítimas no Rio Grande do Sul e se juntem para “defender a natureza do nosso país”.

    Ela marcou o perfil de Rodrigo Pacheco na publicação, e disse não ter conseguido marcar o do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), por ser “bloqueada por questões ambientais anteriores”. Ambos são criticados na postagem.