Pará: saiba quem são os pré-candidatos ao governo e ao Senado

Governador Helder Barbalho (MDB) deve tentar a reeleição e enfrentar adversário de quatro anos atrás

Palácio dos Despachos, em Belém, sede do governo do Pará
Palácio dos Despachos, em Belém, sede do governo do Pará Marco Santos/Agência Pará/Governo do Pará

Denise Becker*colaboração para a CNN

Ouvir notícia

Um levantamento realizado pela CNN apontou quem são os pré-candidatos para o governo estadual e para o Senado no Pará.

Os partidos podem mudar as indicações até 5 de agosto, quando acaba o prazo para a escolha de candidatos e candidatas.

Os pré-candidatos ao governo estadual

O atual governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), é pré-candidato à reeleição. Foi ministro-chefe da Secretaria Nacional dos Portos no governo Dilma Rousseff e ministro da Integração Nacional no governo Michel Temer. É filho do ex-governador do Pará, Jader Barbalho. Começou a carreira política aos 21 anos, como vereador de Ananindeua, tendo sido também prefeito da cidade e deputado estadual. É natural de Belém.

Márcio Miranda é o pré-candidato do União Brasil para o governo do Pará. Em 2018, disputou o segundo turno das eleições e foi derrotado por Helder Barbalho. O policial militar é natural do município mineiro de Pavão.

O pré-candidato Zequinha Marinho (PL) é integrante da bancada evangélica e foi eleito para o Senado em 2018. O pedagogo é natural de Araguacema. Foi vice-governador do estado entre 2015 e 2019 e também deputado federal e estadual.

O PSOL irá lançar Fernando Carneiro, vereador que exerce o terceiro mandato em Belém. Ele é historiador, formado pela Universidade de São Paulo.

Os pré-candidatos ao Senado

O deputado federal Beto Faro é o pré-candidato pelo PT. Ele é presidente do partido no estado e é natural de Bujaru. Destacou-se na luta pela consolidação do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar e de outras políticas públicas para a população rural.

As pretensões de Faro resultaram em um racha no partido, uma vez que o senador Paulo Rocha (PT) queria disputar a reeleição. Em janeiro, o PT realizou prévias, e Rocha acabou perdendo a disputa. Agora, o sindicalista natural de Curuçá, que já foi deputado federal, pode tentar voltar à Câmara ou mesmo disputar o governo estadual.

A Rede Sustentabilidade pretende lançar ao Senado a candidatura da jornalista Ursula Vidal, atual secretária de Cultura do Governo do Estado, função que exerce desde 2019. Nas eleições de 2018, ela disputou uma cadeira no Senado, mas não conseguiu se eleger.

Também deverão estar na disputa dois ex-senadores: Flexa Ribeiro, que deixou o PSDB e migrou para o PP, e Mário Couto, recentemente filiado ao PL, que entraria na eleição com apoio do presidente Jair Bolsonaro.

Manoel Pioneiro (PSDB) também pretende concorrer. O pré-candidato foi deputado estadual por quatro mandatos e presidente da Assembleia Legislativa do Pará. Tem base em Ananindeua, onde foi prefeito por quatro mandatos (1997 a 2004 e de 2013 a 2020).

O primeiro turno da eleição de 2022 está marcado para acontecer no primeiro domingo de outubro, dia 2. E, caso seja necessário, o segundo turno será realizado no dia 30 do mesmo mês.

Confira abaixo os senadores cujos mandatos terminam em 2023. As vagas deles no Senado estarão em jogo nas eleições deste ano

A CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto pela TV e por nossas plataformas digitais.

* Com informações de Raphael Bueno, Gabriela Ghiraldelli, Salma Freua e Leonardo Rodrigues, da CNN, em São Paulo

Mais Recentes da CNN