Passaporte sanitário “será CPF” porque todos estarão vacinados, diz Queiroga à CNN

À CNN Rádio, ministro da Saúde afirmou que campanha de imunização do ano que vem ‘será ainda melhor’

Amanda Garciada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

O passaporte sanitário “será o CPF de cada brasileiro porque todos estarão vacinados”, segundo o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em entrevista à CNN Rádio nesta quarta-feira (13).

O titular da pasta também defendeu que a retirada da obrigatoriedade das máscaras, à medida que há controle sanitário, “será natural”: “Vai acontecer naturalmente, o que sou contra é às leis que obrigam o uso, isso deveria ser feito por meio de campanhas de conscientização.”

Queiroga afirmou que a campanha de imunização contra a Covid-19, no ano que vem, será “ainda melhor”, em questão de “logística e distribuição de doses”. Mais de 350 milhões de vacinas estão garantidas para 2022, segundo ele.

O ministro disse que o cenário é de “tranquilidade” e “conforto sanitário”, com queda da transmissão, casos, internações e mortos pelo coronavírus.

Mesmo assim, Queiroga fez um apelo para que “aqueles que não foram tomar a segunda dose” procurem as salas de imunização, já que é necessário “acelerar a vacinação”, especialmente para o público acima de 60 anos, com as doses de reforço.

CPI da Pandemia

A CPI da Pandemia decidiu voltar atrás na convocação do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, pela terceira vez. O ministro voltou a dizer que está à disposição, como sempre esteve, de todas as instituições democráticas.

“A CPI faz o trabalho dela, eu faço a gestão do Ministério da Saúde, sem me preocupar com questões do Parlamento e do Judiciário, temos feito isso, vivemos em ambiente de tranquilidade, a insegurança de ter ou não vacina foi dissipada”, garantiu.

Mais Recentes da CNN