Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Petrobras cria diretoria de transição energética e indica Mauricio Tolmasquim

    Tolmasquim atuou na campanha presidencial de Luiz Inácio Lula da Silva, como responsável pelas propostas na área de energia, e depois integrou o grupo específico sobre esse tema no gabinete de transição

    Tolmasquim atuou na campanha presidencial de Luiz Inácio Lula da Silva, como responsável pelas propostas na área de energia,
    Tolmasquim atuou na campanha presidencial de Luiz Inácio Lula da Silva, como responsável pelas propostas na área de energia, Reprodução/CNN

    Daniel Rittnerda CNN

    Brasília

    O engenheiro Mauricio Tolmasquim, ex-presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e um dos principais quadros do PT no setor elétrico, foi indicado nesta quinta-feira (6) para a nova diretoria de transição energética e energias renováveis da Petrobras.

    A indicação foi feita pelo presidente da estatal, Jean Paul Prates, e será encaminhada para o conselho de administração. Um comunicado divulgado pela petroleira afirma que Tolmasquim coordenará as atividades de descarbonização, mudanças climáticas, novas tecnologias e sustentabilidade. Além disso, ele incorporará as atividades de comercialização de gás natural.

    Tolmasquim atuou na campanha presidencial de Luiz Inácio Lula da Silva, como responsável pelas propostas na área de energia, e depois integrou o grupo específico sobre esse tema no gabinete de transição. Ele fez parte de todos os governos do PT entre 2003 e 2016.

    Nesse período, o engenheiro e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) foi secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia quando a pasta era comandada por Dilma Rousseff. Em seguida, migrou para a EPE.

    Além da indicação de Tolmasquim, a diretoria executiva aprovou uma proposta de ajuste organizacional que contempla os seguintes pontos:

    • A atual diretoria de desenvolvimento da produção, ocupada por Carlos José do Nascimento Travassos, passa a ser denominada diretoria de engenharia, tecnologia e inovação. Também vai abranger o Cenpes (centro de pesquisa e desenvolvimento da Petrobras).
    • A atual diretoria de refino, gás e energia, ocupada por William França da Silva, passa a ser denominada diretoria de processos industriais e produtos, incluindo os derivados do refino de petróleo e os derivados de gás e biocomponentes.
    • A atual diretoria de comercialização e logística, ocupada por Claudio Romeo Schlosser, passa a ser denominada diretoria de logística, comercialização e mercados.
    • A diretoria de relacionamento institucional e sustentabilidade será extinta.
    • A diretora executiva Clarice Coppetti será indicada para a nova diretoria de gestão corporativa, que administrará os processos internos de gestão de pessoas, saúde, meio ambiente e segurança (SMS) e serviços compartilhados – e incorporará a estrutura de transformação digital e tecnologia de informação.
    • Carlos Augusto Barreto seguirá responsável pela área de transformação digital, que ficará ligada à diretoria de gestão corporativa. As gerências executivas de comunicação e marcas, responsabilidade social e relacionamento externo ficarão diretamente ligadas à presidência.
    • A diretoria financeira e de relacionamento com investidores, ocupada por Sergio Caetano Leite, passa a ser responsável pela área de gestão de portfólio.
    • Estão mantidas as diretorias de exploração e produção e de governança e conformidade.
    De acordo com a Petrobras, o ajuste aprovado na estrutura da estatal não altera o número atual de diretorias e não gera aumento de custos para a companhia.