PF investiga deputado federal por desvios públicos no Maranhão

Josimar Maranhãozinho (PL) teria desviado dinheiro de suas emendas parlamentares na área da saúde de abril a dezembro; desfalque chega a R$ 15 milhões

PF investiga o deputado federal Josimar Maranhãozinho (PL) pelo desvio de R$ 15 milhões em emendas parlamentares
PF investiga o deputado federal Josimar Maranhãozinho (PL) pelo desvio de R$ 15 milhões em emendas parlamentares Foto: Reprodução/camara.leg.br

Vianey Bentes, da CNN, em Brasilia

Ouvir notícia

A Polícia Federal está nas ruas no Maranhão nesta quarta-feira (9) com a Operação Descalabro, que investiga um suposto esquema criminoso na área de saúde no estado que teria desviado R$ 15 milhões dos cofres públicos. 

Segundo a PF, o deputado federal Josimar Maranhãozinho (PL) teria desviado o dinheiro de suas emendas parlamentares na área da saúde para os municípios do interior do estado, que são redutos eleitorais dele, no período de abril a dezembro deste ano.

Ainda segundo as investigações, os Fundos Municipais de Saúde recebiam o dinheiro e firmavam contratos fantasmas com empresas de fachada, pertencentes ao próprio deputado, mas em nomes de terceiros, onde ocorria o desvio do dinheiro. 

Assista e leia também:
Lava Jato: Operação investiga desvios de recursos destinados à Saúde no Rio
Após denúncia da CNN, prefeito de Rio Claro é alvo de operação do MP

Logo em seguida, as empresas faziam saques em espécie, e o dinheiro era entregue para o próprio deputado em seu escritório parlamentar em São Luís.

A PF, que investiga o caso há quatro meses, conseguiu não só constatar os desvios, como acompanhar os saques e registrar em áudio e vídeo a distribuição do dinheiro no escritório do parlamentar maranhense.

São cumpridos 27 mandados de busca e apreensão em São Luís e no interior do Maranhão. Além disso, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, determinou o bloqueio de R$ 6 milhões em patrimônio do deputado federal, entre outras medidas diversas da prisão. 

O nome da operação foi dado em razão do prejuízo pesado causado aos cofres públicos em plena época de pandemia.

Mais Recentes da CNN