PF tem até o dia 28 para ouvir Bolsonaro sobre vazamento de informações sigilosas

Prazo foi estabelecido pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF)

Gabriel HirabahasiVianey Bentesda CNN

de Brasília

Ouvir notícia

A Polícia Federal tem até 28 de janeiro para ouvir o presidente Jair Bolsonaro sobre o vazamento de documentos sigilosos de um inquérito envolvendo um ataque hacker no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Segundo fontes ouvidas pela CNN, o prazo foi estabelecido pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, relator do inquérito que apura a conduta de Bolsonaro no caso.

A informação do prazo para o depoimento de Bolsonaro foi publicada pelo jornal “Folha de S.Paulo” e confirmada pela CNN.

De acordo com as fontes ouvidas, a Polícia Federal ainda não tem uma data definida para ouvir o presidente Bolsonaro.

O despacho de Moraes se deu em um inquérito aberto no STF para apurar a divulgação da investigação sigilosa por parte de Bolsonaro. O presidente divulgou essas informações em suas redes sociais no ano passado, primeiro durante uma live ao lado do deputado Filipe Barros (PSL-PR) e depois publicando a íntegra em sua página no Facebook.

Na transmissão, Bolsonaro e o deputado Filipe Barros comentaram o inquérito sobre o ataque ao TSE, que era sigiloso. Em seguida, o presidente divulgou a íntegra da investigação nas redes sociais.

O TSE divulgou resposta, à época, esclarecendo que o acesso aos sistemas do Tribunal não representou risco à integridade das eleições de 2018, já que, segundo o TSE, o código-fonte dos programas utilizados passa por sucessivas verificações e testes que fazem com que seja possível identificar qualquer alteração ou manipulação.

Questionado pela CNN sobre a decisão de Moraes e sobre a data do depoimento, o Palácio do Planalto não enviou resposta até a publicação desta reportagem.

Mais Recentes da CNN