PGR denuncia Paulinho da Força por recebimento de propina

Deputado é acusado de ter recebido R$ 1,8 milhão de propina da Odebrecht. Se o STF aceitar a denúncia, o parlamentar vira réu

Paulinho da Força durante ato do 1º de maio da Força Sindical em 2017
Paulinho da Força durante ato do 1º de maio da Força Sindical em 2017 Foto: Felipe Rau/Estadão Conteúdo

Gabriela Coelho,

da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

A Procuradoria-Geral da República (PGR) apresentou nesta segunda-feira (6), ao Supremo Tribunal Federal, um denúncia contra o deputado federal Paulinho da Força (SD-SP) por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, sob acusação de ter recebido R$ 1,8 milhão de propina da Odebrecht. Se o STF aceitar a denúncia, o parlamentar vira réu. 

A CNN procurou o deputado e aguarda retorno.

A denúncia, assinada pela coordenadora da Lava Jato Lindôra Maria Araújo, afirmou que os investigadores tiveram acesso a áudios de uma corretora de valores responsável por realizar pagamentos em dinheiro vivo para a Odebrecht, e detectaram diálogos entre os entregadores de dinheiro e um assessor de Paulinho da Força combinando as entregas.

De acordo com a acusação, a Odebrecht esperava, em troca dos pagamentos, obter ajuda de Paulinho da Força para apaziguar movimentos sindicais e apoio à privatização do setor do saneamento, que se tornou uma das bandeiras do partido Solidariedade.

Na prática, a denúncia detalha a negociação e o repasse dos recursos, bem como a participação de outros dois acusados.

Também foram denunciados Marcelo Odebrecht e Fernando Reis, ambos da empreiteira, mas a PGR pede que o Supremo conceda a eles os benefícios acordados na delação premiada.

Conforme descreve o documento, inicialmente, os colaboradores afirmaram ter pago R$ 1 milhão do esquema criminoso ao deputado. No entanto, com o aprofundamento das investigações, ficou comprovado o repasse de três parcelas de R$ 500 mil e uma de R$ 300 mil, totalizando R$ 1,8 milhão, o que acabou reconhecido pelo colaborador.

Mais Recentes da CNN