Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Eleições 2022

    Polícia prende suspeito de matar a facadas homem que disse votar em Lula no Ceará

    Edmilson Freire, 59 anos, vai responder por homicídio qualificado por motivo torpe; ele já tinha passagem

    Kenzô Machida

    A Polícia Civil do Ceará prendeu nesta segunda-feira (26) Edmilson Freire da Silva, 59 anos, suspeito de matar, com golpes de faca, um homem que se disse eleitor de Lula em Cascavel, na Região Metropolitana de Fortaleza. O crime ocorreu no sábado (24) e, segundo a polícia, foi motivado por discussão de divergência política.

    O delegado de Cascavel, Josafat Filho, disse à CNN que testemunhas informaram que o suspeito chegou no bar perguntando em quem as pessoas iriam votar. Com medo, a maioria respondeu que preferia não dizer, mas a vítima, Antônio Carlos silva de Lima, 39, se identificou como eleitor de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Então, teve início uma discussão entre os dois. As testemunhas contam ainda que o nome dos candidatos Jair Bolsonaro (PL) e Lula foram ouvidos durante a briga, quando o agressor atacou a vítima a facadas.

    De acordo com relatos das testemunhas à polícia, Edmilson só parou de esfaquear a vítima quando foi contido pelas pessoas que estavam no bar. Ainda segundo os presentes, no momento em que esfaqueava a vítima, o agressor dizia: “quero ver quem é o eleitor de Lula aqui”.

    O delegado ouviu o depoimento de quatro testemunhas, sendo que uma delas que estava do lado de fora no bar e não havia consumido bebida alcoólica, e concluiu que a motivação foi por divergência de opinião política. “Não se trata de um crime político, mas se trata de um crime que foi gerado devido à discussão por opiniões políticas diversas.”

    Em depoimento à polícia, o suspeito negou a motivação, argumentando que não tem opinião política. O delegado, porém, disse que todas as testemunhas confirmaram que a discussão fútil foi motivada por divergência política e que o infrator teria esfaqueado a vítima.

    Edmilson Freire vai responder por homicídio qualificado por motivo torpe. Segundo a polícia, ele já tinha passagens por infringir a Lei Maria da Penha, acusado de lesão corporal contra a esposa.