Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Prefeitos bem-avaliados já sonham com o governo do Estado, dizem fontes

    Especialistas dizem que o objetivo dos prefeitos é vencer em primeiro turno para evitar questionamentos se abandonariam o cargo em 2026

    Exemplos citados são: Eduardo Paes (PSD), no Rio de Janeiro, João Campos (PSB), no Recife, e Topázio Neto (Republicanos), em Florianópolis
    Exemplos citados são: Eduardo Paes (PSD), no Rio de Janeiro, João Campos (PSB), no Recife, e Topázio Neto (Republicanos), em Florianópolis Tomaz Silva/Agência Brasil/Marcos Pastich/PCR/Reprodução/Facebook

    Raquel Landimda CNN

    São Paulo

    Prefeitos bem avaliados, que enfrentam uma reeleição fácil em suas capitais, já sonham com o governo do Estado, dizem fontes próximas às campanhas.

    Três exemplos são citados: Eduardo Paes (PSD), no Rio de Janeiro, João Campos (PSB), no Recife, e Topázio Neto (PSD), em Florianópolis.

    Em Curitiba, o atual prefeito, Rafael Greca (PSD), também tenta fazer o sucessor na ambição de chegar ao governo estadual em 2026.

    Levantamento mais recente da Paraná Pesquisas mostra que Paes lidera no Rio de Janeiro com 44% das intenções de voto.

    Em Recife, Campos sai na frente com 36,6%, e em Florianópolis, Topázio tem 33%.

    Em Curitiba, o candidato apoiado por Greca, Eduardo Pimentel (PSD), ainda não decolou e está em quarto com 12,5%.

    Segundo especialistas em pesquisa eleitorais ouvidos pela CNN, o objetivo dos prefeitos é vencer em primeiro turno para evitar questionamentos se abandonariam o cargo para concorrer ao governo do Estado em 2026.

    Procurados pela CNN, Topázio disse que não pretende concorrer ao governo do Estado.

    A assessoria de Eduardo Paes informou que é muito cedo para falar da eleição de 2026 e que o prefeito tentará a reeleição na eleição municipal.

    A assessora de João Campos respondeu que o prefeito está de recesso e volta apenas dia 10 de janeiro.

    A equipe de Rafael Greca disse que uma eventual disputa ao governo do Paraná nas eleições de 2026 dependeria da vontade da população e da indicação do partido.

    “Neste momento, esclarece Greca, seus pensamentos estão voltados para a conclusão do seu terceiro mandato à frente da Prefeitura de Curitiba. O prefeito pretende entregar a Cidade ao seu sucessor, em janeiro de 2025, ainda mais sustentável, inclusiva, inovadora, inteligente e humana do que a recebeu”, prosseguiu.