Presidente da Fundação Palmares pede segurança à PF e à Polícia Militar

"Há diversas ameaças nas redes sociais. Tenho recebido ameaças e incitamento por parte de artistas e políticos", afirmou Sérgio Camargo à CNN

Em gravação, Sérgio Camargo, presidente da Fundação Palmares
Em gravação, Sérgio Camargo, presidente da Fundação Palmares Foto: Reprodução/ Fundação Palmares

Daniel Adjuto e Vianey Bentes

Da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, pediu à Polícia Federal e à Polícia Militar do Distrito Federal reforço na segurança dele e do prédio onde funciona a instituição em Brasília. Um ofício com o pedido foi enviado às coorporações.

Em conversa com a coluna, Camargo disse que aumentaram as ameaças dirigidas a ele. “Há diversas ameaças nas redes sociais. Tenho recebido ameaças e incitamento por parte de artistas e políticos”, afirmou.

Em uma das postagens que tem salva no celular, há pedidos para que ele deixe a fundação: “Ou ele sai por bem ou por mal”.

Leia também:

Fundação Palmares tem novo modelo, diz presidente após chamar negros de escória

Vazamento vai me fortalecer na direita, diz presidente da Fundação Palmares

Hoje, servidores da instituição retomaram o trabalho presencial. Em novembro do ano passado, o prédio da instituição foi invadido por manifestantes contrários à permanência dele no cargo. Camargo deixou o edifício pelos fundos.

O movimento negro não tolera Camargo à frente da Fundação Palmares e organiza novos protestos. “A Fundação respeita o direito de manifestação, mas queremos segurança preventiva”, disse Sérgio.

Em áudio revelado pelo jornal “O Estado de São Paulo”, Camargo chama o movimento negro de “escória maldita” e diz que ele “vagabundos”. Por fim, chamou Zumbi dos Palmares, que dá nome à Fundação, de “filho da puta que escravizava pretos”.

A Polícia Federal e a Polícia Militar do Distrito Federal ainda não responderam.

Tópicos

Mais Recentes da CNN