Presidente da OAB critica Marcelo Bretas e operação Lava Jato no RJ

Agentes da Polícia Federal visam cumprir mandados de busca e apreensão em endereços ligados a advogados

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz
O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Julyanne Jucá, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

 

O presidente nacional da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Felipe Santa Cruz, criticou a fase da Operação Lava Jato que está sendo realizada nesta quarta-feira (09) e cumpre mandados no Rio de Janeiro e em outros cinco estados. 

Agentes da Polícia Federal, em conjunto com o Ministério Público Federal e a Receita Federal, cumprem mandados de busca e apreensão em endereços ligados a advogados acusados de fazerem parte de uma organização criminosa no Rio de Janeiro. 

Leia mais:
Bretas manda apreender valores acima de R$ 20 mil e até circuito de câmeras
Advogado de Lula e ex-defensor da família Bolsonaro são alvos da PF; veja lista
Advogado de Lula diz que operação é ‘atentado à advocacia e retaliação’

Em um post no Twitter, Santa Cruz questiona a atuação do juiz federal Marcelo Bretas, responsável pela operação Lava Jato no Rio, que expediu os 50 mandados de busca e apreensão em escritórios de advocacia, endereços de pessoas e empresas investigadas.

“Quase todos os advogados importantes do meu estado participaram de uma organização criminosa? Criminoso é o delator, não os advogados!”, coloca o presidente da OAB. “Pensam que vão nos intimidar. Não nos conhecem.”

A operação batizada de E$quema S investiga advogados supostamente envolvidos em um esquema ilegal que deviou dinheiro público do Sistema S, entre os anos de 2012 e 2018.

 

Mais Recentes da CNN