Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Procurador não pode se “submeter” a presidente de nenhum Poder e nem “brincar com o MP”, diz Lula em posse de Gonet

    Presidente discursou durante cerimônia nesta segunda-feira (18)

    Renata Souzada CNN

    São Paulo

    Durante cerimônia de posse do novo procurador-Geral da República, Paulo Gustavo Gonet Branco, nesta segunda-feira (18), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) defendeu que o chefe do Ministério Público Federal (MPF) não tem o direito de “brincar” com a instituição, nem de submeter a quaisquer interesses dos Poderes.

    “O Ministério Público é uma instituição tão grande que nenhum procurador tem o direito de brincar com ela”, declarou o presidente.

    Ainda de acordo com o mandatário, “um procurador não pode se submeter a um presidente da República; não pode se submeter a um presidente da Câmara, não pode se submeter a um presidente do Senado, não pode se submeter aos presidentes de outros Poderes, mas também não pode se submeter à manchete de nenhum jornal e nem à manchete de nenhum canal de televisão”. 

    Lula confirmou a indicação do nome de Gonet à PGR no último dia 27, e o escolhido foi sabatinado e aprovado pelo Senado Federal na semana passada.

    Durante sua fala, o petista ressaltou a importância de o Ministério Público atuar como um defensor da “verdade”.

    Em um discurso focado na relevância do Ministério Público (MP), o Lula afirmou que a instituição não pode “achar que todo político é corrupto”.

    “Não existe possibilidade de o Ministério Público achar que todo político é corrupto. Não existe possibilidade. Ou seja, que é um conceito que se criou na sociedade brasileira de que qualquer denúncia contra qualquer político já parte do pressuposto de que ela é verdadeira. E nem sempre é”, disse.

    O presidente fez menção ainda aos atos de 8 de janeiro, defendendo o processo democrático como o regime “mais extraordinário” inventado.

    Se a gente quiser evitar aventuras nesse país como a que aconteceu dia 8 de janeiro desse ano, se a gente quiser consagrar o processo democrático como regime político mais extraordinário que o ser humano conseguiu inventar, o Ministério Público precisa jogar o jogo de verdade.

    Luiz Inácio Lula da Silva