PSD prepara expulsão de Flordelis do partido

Pastora e ex-deputada já estava suspensa desde o ano passado

Beatriz Puente, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O PSD afirmou à CNN nesta sexta-feira (13) que está adotando as medidas para expulsar a ex-deputada federal Flordelis do partido. A decisão foi tomada por conta da cassação do mandato na Câmara, aprovada na tarde de quarta-feira (11) por 437 votos a 7. A pastora é acusada pela polícia e pelo Ministério Público (MPRJ) de ser a mandante da morte do marido, o pastor Anderson do Carmo, assassinado a tiros em 2019 em Niterói (RJ).

Em nota, o PSD nacional informou que Flordelis já estava suspensa do partido desde o ano passado e, na prática, desligada. Não há previsão para a expulsão.

Com a decisão da Câmara, a pastora perdeu o foro privilegiado. O advogado da família do pastor Anderson do Carmo fez um novo pedido de prisão da ex-deputada. Flordelis responde por homicídio triplamente qualificado, associação criminosa, falsidade ideológica, uso de documento falso e tentativa de homicídio.

O Tribunal de Justiça do Rio já recebeu o pedido de prisão da ex-deputada e informou que a análise deve ser feita em primeira instância. Na decisão desta quinta-feira (12), o desembargador Celso Ferreira Filho, da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio, transferiu a decisão para a juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, responsável pelo julgamento.

A pastora foi eleita deputada federal em 2018, com quase 200 mil votos, tendo como uma de suas principais bandeiras a desburocratização da adoção no Brasil.

Sob supervisão de Adriana Freitas

Mais Recentes da CNN