Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    PSDB filia Marcos do Val; direção do partido vai vetá-lo

    Parlamentar é investigado pelo Supremo Tribunal Federal por envolvimento em uma suposta trama para grampear o ministro Alexandre de Moraes

    Filiação do senador capixaba foi articulada pelo líder da bancada do PSDB, senador Izalci Lucas
    Filiação do senador capixaba foi articulada pelo líder da bancada do PSDB, senador Izalci Lucas Marcelo Camargo/Agência Brasil

    Iuri Pitta

    O site do Senado registra, desde quinta-feira (21), o senador Marcos do Val (ES) como filiado ao PSDB, mas o ato rachou o partido e a direção nacional tucana afirmou que vai impedir o ingresso do congressista.

    “A Direção Nacional do PSDB foi surpreendida com notícia referente a pedido de filiação do senador Marcos do Val e comunica que, caso venha a ocorrer, encaminhará o seu indeferimento”, afirmou a legenda em nota.

    O parlamentar é investigado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por envolvimento em uma suposta trama para grampear o ministro Alexandre de Moraes, que também preside o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

    A filiação do senador capixaba foi articulada pelo líder da bancada do PSDB, senador Izalci Lucas, que também preside o diretório tucano no Distrito Federal (DF). Por se tratar de unidades federativas diferentes, integrantes da Executiva Nacional do partido avaliam que ele não teria prerrogativa para abonar a adesão do congressista.

    No Senado, a filiação foi vista como um movimento para a bancada — que também conta o amazonense Plínio Valério — não perder o direito de ter um gabinete de liderança.

    O PSDB perdeu dois dos quatro senadores que haviam começado a atual legislatura no partido: Mara Gabrilli (SP) foi para o PSD e Alessandro Vieira (SE), para o MDB.

    Presidente procurado

    O mal-estar com a filiação de Marcos do Val chegou ao presidente nacional do PSDB, o governador gaúcho Eduardo Leite, que foi procurado por parlamentares e outros dirigentes do partido pelo país.

    Além de ser investigado pelo STF, o senador não é do mesmo grupo político da sigla no Espírito Santo, estado em que o PSDB conta com o vice-governador, Ricardo Ferraço.

    Marcos do Val disse em suas redes sociais, em fevereiro, que havia participado de uma conversa com o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ex-deputado Daniel Silveira (PTB-RJ) a respeito de uma tentativa de grampear Moraes, a fim de colocar sua atuação no TSE sob suspeita.

    Depois, o congressista deu novas versões para o caso e foi alvo de mandado de busca e apreensão no âmbito dessa investigação.

    A CNN procurou Izalci Lucas e aguarda retorno.

    Vídeo — PSDB pode assumir cargo no governo Lula