PT filia Roberto Requião e trabalha por ampla aliança no Paraná; conversas incluem PDT

Ex-senador era filiado ao MDB e deve lançar sua candidatura ao governo paranaense

Roberto Requião, na tribuna do Senado em 2021, quando exercia cargo de Senador pelo PMDB do Paraná
Roberto Requião, na tribuna do Senado em 2021, quando exercia cargo de Senador pelo PMDB do Paraná Agência Senado

Thais Arbexda CNN

Em Brasília

Ouvir notícia

O ex-governador e ex-senador do Paraná, Roberto Requião, de 81 anos, anunciou neste domingo (13) sua filiação ao PT para disputar o governo do Estado. As conversas entre Requião e o partido aconteciam desde o ano passado. O ingresso de Requião à sigla será oficializado na sexta-feira (18), em Curitiba, com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

À CNN, a presidente do PT, deputada Gleisi Hoffmann, afirmou que “Requião sempre esteve ao lado das lutas do PT” e que o objetivo do partido é construir no Paraná um amplo arco de aliança, a exemplo do que o partido pretende fazer na disputa nacional. No Paraná, as conversas estão avançadas, inclusive, com o PDT de Ciro Gomes.

“Analisando a conjuntura política, não tenho mais dúvida alguma, o caminho é essa federação, esta frente organizada pelo PT. Quero dizer a vocês que estou entrando no Partido dos Trabalhadores. Eu tenho fé, eu acredito firmemente que o Lula, com um programa bem definido […] terá sucesso na campanha presidencial. É por aí que vamos mudar o país e aqui no Paraná eu levo a frente a minha pré-candidatura ao governo do estado, para por ordem na casa e acabar com os erros todos. […] me filio ao PT no dia 18”, afirmou Requião em vídeo publicado em suas redes sociais. Ele estava sem partido desde agosto de 2021, quando deixou o MDB.

Mais Recentes da CNN