Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Que saia da eleição na Câmara um Arthur Lira melhor, diz Renan Calheiros

    Congresso Nacional define nesta quarta-feira (1°) quem serão os novos presidentes da Câmara e do Senado para os próximos dois anos

    Gabriel FernedaJorge Fernando Rodriguesda CNN

    Em São Paulo

    Nesta quarta-feira (1°), o Congresso Nacional retomará os trabalhos com a posse dos novos parlamentares e com a eleição para os novos presidentes na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.

    Durante entrevista à CNN nesta terça-feira (31), o senador Renan Calheiros (MDB) avaliou a disputa na Câmara dos Deputados, e disse esperar um Arthur Lira (PP-AL) diferente em caso de reeleição.

    “Eu espero que dessa eleição ampla, possamos ter o aparecimento de um novo Arthur Lira, que não flerte com o fascismo, que não trabalhe pelos retrocessos contra o Estado Democrático de Direito e que não queria prender diretores de institutos de pesquisa”.

    “Torço para que saia dessa eleição um Arthur Lira melhor, mais compatível com a circunstância que vivemos hoje, defendendo a Democracia, a separação dos poderes e colabora com a agenda econômica e social que melhora a vida dos brasileiros”.

    Ambos representantes do estado de Alagoas no Parlamento brasileiro, Renan e Lira nutrem uma rivalidade antiga. Os dois políticos inclusive já trocaram acusações públicas pelas redes sociais.

    No começo deste ano, a juíza Ana Claudia Loiola de Morais Mendes, da 1ª Vara Criminal de Brasília, aceitou uma queixa-crime de Arthur Lira, contra Renan Calheiros por crimes de calúnia, injúria e difamação por publicações feitas no Twitter.

    Durante a entrevista à CNN Renan Calheiros, que articula a reeleição de Rodrigo Pacheco (PSD-MG) no Senado, disse também acreditar que o resultado do pleito na Casa é “previsível”.

    “Expectativa que nós temos com relação a quantidade de votos de Rodrigo Pacheco é em torno de 55 votos. Há uma grande frente política e a sua reeleição é uma exigência da maioria de um Senado pacificado, que não quer voltar atrás.”

    “Essa eleição é uma eleição previsível. A reeleição de Rodrigo Pacheco é um conceito mais amplo do que sua própria reeleição, e inclui também a reeleição dos membros dos partidos que estão na mesa ou nas comissões”, completou.