Quem é Adolfo Sachsida, novo ministro de Minas e Energia

Ex-assessor especial de Assuntos Econômicos do Ministério da Economia assume lugar de Bento Albuquerque

Adolfo Sachsida, ministro de Minas e Energia
Adolfo Sachsida, ministro de Minas e Energia Foto: Washington Costa/ASCOM/ME

Giovanna Galvanida CNN*

em São Paulo

Ouvir notícia

O presidente Jair Bolsonaro (PL) alterou o comando do Ministério de Minas e Energia nesta quarta-feira (11), substituindo Bento Albuquerque por Adolfo Sachsida, que assume o cargo desde já, seguindo publicação do Diário Oficial da União.

Sachsida, que atuava como chefe da assessoria especial de Assuntos Econômicos do Ministério da Economia, já foi Secretário de Política Econômica entre janeiro de 2019 e fevereiro de 2022 na pasta comandada por Paulo Guedes.

Formado em Direito com mestrado e doutorado em economia pela Universidade de Brasília (UnB), o novo ministro apresenta formação voltada especialmente para macroeconomia, com ênfase em modelos econométricos — área do estudo de tendências econômicas futuras. Na área acadêmica, também realizou pós-doutorado na University of Alabama, nos Estados Unidos.

Sachsida atuou como professor em universidades brasileiras, como a Universidade Católica de Brasília, e do exterior, como a Universidade do Texas, também nos EUA. Atualmente, leciona nos cursos de graduação e mestrado em Economia no Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa (IDP).

Dentro do governo, Sachsida defendeu a agenda de reformas do ministro Paulo Guedes, como a privatização da Eletrobras e a elaboração de uma proposta de reforma tributária, que não chegou a avançar no Legislativo.

No dia 22 de abril, Bento Albuquerque tinha afirmado que a capitalização da Eletrobras sairia até julho — uma resposta a uma suspensão do Tribunal de Contas da União (TCU) em relação à segunda etapa de privatização da estatal.

Troca de comando

Em declaração enviada à CNN após a confirmação da troca de comando da pasta, Adolfo Sachsida disse que está diante do maior desafio profissional de sua carreira e não quis entrar em detalhes sobre a saída de Bento Albuquerque.

“Agradeço ao presidente Jair Bolsonaro pela confiança, ao ministro Paulo Guedes pelo apoio de mais de 3 anos nos Ministério da Economia e peço a graça de Deus para estar à frente desse desafio que é o maior da minha carreira profissional. Agradeço também ao ministro Bento Albuquerque pelo trabalho até aqui executado”, disse Sachsida em seu primeiro dia de ministro.

O Ministério de Minas e Energia tem sido citado por Bolsonaro quando o assunto é Petrobras. Em live nas redes sociais na última quinta-feira (5), Bolsonaro citou o agora ex-ministro Bento Albuquerque ao reclamar do lucro registrado pela Petrobras no primeiro trimestre deste ano.

“Vocês não podem, ministro Bento Albuquerque e senhor José Mauro, da Petrobras, não podem aumentar o preço do diesel. Não estou apelando, estou fazendo uma constatação levando-se em conta o lucro abusivo que vocês têm. Vocês não podem quebrar o Brasil”, declarou o presidente.

A estatal brasileira registrou um lucro líquido de R$ 44,5 bilhões nos primeiros três meses de 2022. O resultado representa um salto de rentabilidade superior a 3.000% em comparação com o mesmo trimestre de 2021.

*Com informações de Basília Rodrigues, Henrique Andrade e Pedro Osório, da CNN

Mais Recentes da CNN