Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Eleições 2022

    RealTime Big Data em MS: Contar e Riedel empatam com 50% dos votos válidos

    Levantamento ouviu, presencialmente, 1.000 eleitores, entre os dias 21 e 22 de outubro; margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos

    Candidatos ao governo de Mato Grosso do Sul Capitão Contar (PRTB) e Eduardo Riedel (PSDB)
    Candidatos ao governo de Mato Grosso do Sul Capitão Contar (PRTB) e Eduardo Riedel (PSDB) CNN

    Da CNN

     

    Pesquisa RealTime Big Data para o governo de Mato Grosso do Sul divulgada nesta segunda-feira (24) mostra Capitão Contar (PRTB) e Eduardo Riedel (PSDB) empatados com 50% dos votos válidos.

    Os votos válidos, que excluem os votos em branco e nulos, determinam o resultado das eleições. Nas disputas para presidente e governador, o candidato que atinge mais de 50% dos votos válidos vence o pleito.

    Se considerados os votos totais, os dois candidatos aparecem empatados com 46% cada. Os entrevistados que disseram que votarão em branco ou nulo representam 4% e os que não sabem ou não responderam, também 4%.

    O levantamento, contratado pela Rede MS Integração de Rádio e Televisão, entrevistou 1.000 pessoas, presencialmente, entre os dias 21 e 22 de outubro. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

    A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo MS-01621/2022.

    Pesquisas eleitorais mostram uma tendência e, não necessariamente, correspondem ao resultado das urnas. Não é uma ciência exata e as amostragens são limitadas. A CNN Brasil divulga os dados de 11 institutos tradicionais por entender que as pesquisas são uma ferramenta importante para análise do eleitor.

    Segundo turno

    Votos válidos

    • Capitão Contar (PRTB) – 50%
    • Eduardo Riedel PSDB) – 50%

    Votos totais

    • Capitão Contar (PRTB) – 46%
    • Eduardo Riedel PSDB) – 46%
    • Brancos e nulos – 4%
    • Não sabem ou não responderam – 4%

     

    *Publicado por Carolina Cerqueira