Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Reforma ministerial: o que pode mudar na Esplanada

    Vejas quais as possíveis movimentações que pode acontecer no governo Lula

    Esplanada dos Ministérios, em Brasília (DF)
    Esplanada dos Ministérios, em Brasília (DF) Roberto Jayme/Estadão Conteúdo - 25.mar.2006

    Mariana Albuquerqueda CNN Brasília

    A possível reforma ministerial proposta por auxiliares de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem como objetivo acomodar o Centrão e pode envolver mudanças maiores do que o inicialmente previsto, indicam auxiliares do presidente.

    Como mostrou a CNN, alguns cargos têm sido defendidos pelo presidente da República, para aliados mais próximos, como aqueles a serem mantidos.

    VÍDEO – Lira: Escolha de ministros é prerrogativa do presidente

    Esses órgãos são:

    • Embratur;
    • Correios;
    • Caixa.

    Isso fez com que auxiliares elaborassem um plano que incluiria dar a União Brasil e PP cargos de diretoria e vice-presidência nestes órgãos.

    Dentre os ministérios que estão “blindados” pelo presidente, neste momento, estão o da Saúde e o da Fazenda.

    O governo já se deparou com duas trocas ministeriais desde o início do ano: no Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e no Turismo.

    No GSI, o general Gonçalves Dias deixou o cargo em decorrência da repercussão dos atos criminosos de 8 de janeiro. Foi colocado no comando da equipe o general Marcos Antônio Amaro.

    No Ministério do Turismo, reivindicado pela bancada do União Brasil na Câmara dos Deputados, Daniela Carneiro saiu para a entrada de Celso Sabino.

    Pastas que estão na mira de mudanças

    • Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços – o vice-presidente e ministro Geraldo Alckmin (PSB) pode ser substituído por Márcio França (PSB);
    • Ministério de Portos e Aeroportos – Márcio França (PSB) pode ser trocado por Silvio Costa Filho (Republicanos);
    • Ministério da Defesa – Possível saída de José Múcio Monteiro e entrada do vice-presidente Geraldo Alckmin (PSB);
    • Ministério dos Esportes – comandado pela ex-atleta Ana Moser (sem partido). A pasta é alvo do Republicanos;
    • Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação – chefiado por Luciana Santos (PCdoB).

    VÍDEO – Republicanos só decide se entra no governo Lula após 15 de agosto